É de conhecimento geral que a internet tem feito as pessoas praticarem os mais pérfidos crimes ao bom e velho português. A necessidade de abreviaturas torna um dialogo virtual mais rápido, assim como vários outros serviços na rede, é uma ajuda da qual podemos tomar posse, sem abusos e sem perder o bom senso do que é correto.

Errar é humano, eu erro, você erra... Somos falhos, mas certos tipos de erros vindos de declaradas leitores tornam-se um crime hediondo à nossa gramatica. É fato também que as pessoas que leem tende a falar melhor e, consequentemente, a escrever melhor e é por essa lógica que estou escrevendo hoje.

Não apenas uma vez, mas por várias vezes, fui testemunha dos mais graves crimes à língua portuguese e sinto-me impulsionada a falar sobre o que vi, vindo de leitores ávidos, vale ressaltar. 

Um assento, uma palavra muito parecida, comer uma silaba ou consoante, tudo bem... Mas escrever algo errado de forma gritante é o cumulo para mim.

Coisas que eu tenho lido e me deixado cada dia mais de luto pela nossa língua:
"Mim empresta aquela livro" 
"Mim dá isso ou aquilo"
Mim, mim, mim...  

Só tenho uma coisa a dizer para as pessoas que escrevem assim e se acham leitoras:
"Mim ser índio educado... Só empresto livro pra quem sabe a função do ME."

Os roqueiros chamam aqueles que acham que são roqueiros e só falando besteiras sobre o rock de Poser's. Então, a partir de hoje... LEITOR QUE ESCREVE ERRADO É POSER!!! (rsrs)

É um afronte isso... ta na cara que o que está sendo escrito está errado e essas pessoas ainda continuam a escrever assim. Quantos diálogos nos romances demonstram a forma de se usar o ME? Milhares! Em um unio livro você encontra centenas de colocações com o ME.

Não consigo assimilar isso, não consigo aceitar algo tão grotesco e é por isso que a partir de hoje estou de luto pelo português.



Deixe um comentário