(O Melhores de 2009 - Revisado)
O livro não é ruim, apesar de ter achado o final besta. 
A trama vai indo sensacionalmente bem... ai do nada a autora se perde... Gostei muito do Cash, pois ele, alem de lindo e tinha tudo para ser um vagabundo de marca maior, mas se manteve integro durante toda a trama, ao contrário do irmão da mocinha. 

Cash se torna jogador por que era a única coisa que ele sabia fazer desde criança. Resumindo... ele e muito perfeito... e a Jenna de certa forma é uma grandessíssima  babaca... 

Jenna Duancan administra sozinha o rancho da família apoiada por uns poucos amigos. Após trocar correspondências com um rapaz que ela vira apenas uma vez quando era criança, ela o espera para se casar.

Ela vai para a cidade saber do noivo que estava a caminho acaba encontrando um homem mortalmente ferido e cuida dele. Jenna tem certeza de que se trata de Montgomery, seu noivo, que mesmo sem memória acaba se casando com ela.

Blue, não conseguia entender por que não se lembrava daquele amor tão forte que Jenna jurava uni-los. Até que após a noite de núpcias ela realmente descobre quem ele é. Ele não e Blue Montgomery e sim Cash, um jogador da pior espécie que acabara de estragar a vida da única pessoa que realmente se importara com ele. Agora ele tem uma divida para com Jenna, mas seria ela capaz de perdoá-lo? 

Como disse, o livro não é ruim, mas eu achei a mocinha muito, mas muito cabeça dura. Acho que ela exagerou muito na forma como o tratou. A culpa não era dele, se ela o tinha confundido. Ele não tinha culpa por estar sem memória e ter acreditado no engano dela própria. 

Ele não tinha motivos para enganá-la, ela não era rica... nem usar o argumento de que ele se casara para roubá-la poderia ser usado por ela. Me decepcionei e ele partiu... Foi dessa para melhor... foi para o sebo e nunca mais vi ele por lá... alguém deve ter gostado e ficado com ele... ^^ 

Aposta de Risco - Ed. 186 
Clássicos Históricos Especial 
Nova Cultural 

 Uma mulher decidida a apostar no amor! 

 América do Norte, 1869. 

Jenna Duncan já sofrera bastante nas mãos de jogadores. E agora, com receio, preparava-se para a cartada final: tinha em seus braços o homem que lhe prometera casamento. Era carinhoso, mostrava-se apaixonado e tinha os inesquecíveis olhos azuis pelos quais se enamorara não tinha passado. Perdera a consciência em um acidente e não se lembrava de coisa alguma: nem dela, nem do amor que lhe jurara, nem de si mesmo. Deveria Jenna apostar em um futuro de amor ao lado daquele homem? Ou seria mais uma jogada na qual estava fadada a perder?

Um Comentário