ED. 202
Clássicos Históricos

Nova Cultural/Harlequin


Ela fugiu da cama do duque de Deighton...

... E retornou à sua calma vida de respeitabilidade. Mas Verity Davis-Jones nunca conseguiu esquecer Galen Bromney, porque o via diariamente no rosto da filha – a filha que devia negar a ele, juntamente com seu amor!

Dez anos de exílio voluntário pouco serviram para dissuadir Galen Bromney da idéia de que seu destino era ficar ao lado de Verity. Entretanto, como conseguiria convencer a mulher de seus sonhos de uma que uma vida juntos, criando a filha de ambos era seu mais profundo desejo?

PALAVRA DE VICIADA:

Sinceramente? Muito parado!!! Me decepcionou bastante, pois para o nível Margaret Moore ta bem fraquinho e põe fraco nisso... não tem mistério, não tem grandes rompantes amorosos. Apenas uma mulher que faz cu doce o tempo todo (desculpe o linguajar) e um cara perfeito demais pra ser verdade, é um pai maravilhoso... Na verdade a única coisa que eu gostei do livro foi o humor empregado pela autora, pois como disse faltou muita coisa.
O QUE ROLA:

Depois de dez anos vivendo na Itália em um alto exílio Galen está de volta a Inglaterra. Com a morte do pai ele tem como obrigação assumir o titulo e com isso formar uma família. Só não esperava encontrar nesse retorno a mulher que o levou a auto penitencia e o pior, não esperava se apaixonar perdidamente pela mulher que lhe endireito as atitudes e lhe roubou o coração. Verity agora é viúva e um grande segredo, uma filha de Galen e de todas as formas não quer que outras pessoas o saibam, pois ela já carregava o estigma de bastarda não queria o mesmo para a filha... Só que o retorno de Galen e os encontros familiares que ele fazia questão de manter com a filha conquistam cada vez mais o coração de Verity que ainda é perdidamente apaixonada por ele.... Um amor proibido os une e um escândalo ainda maior os separa. Quem será mais forte? A hipocrisia da sociedade ou o amor eterno que os une?



Deixe um comentário