Ah!! Ah!! Ah!!

Eu sei que estou sumida, sinto muitíssimo por isso, pois sinto uma falta tremenda de escrever para vocês, mas entro em férias em breve e vou ler um monte de coisas e trazer tantas novidades que mal vejo a hora de me redimir para vocês... e hoje, para começar vim falar de uma minisérie linda... LINDA!! LINDAAAAA!!! To perdidamente apaixonada, mas não vim apenas falar da série, vim também deixar os links para que outras apaixonadas por romances de época vejam e amem, mas amem perdidamente o Sr. Thorton (aliás ele me lembrou muito o lorde Belzebu, mas essa é outra conversa... rsrs)!

Bem, a série que venho trazer para vocês hoje é North and South, ou Norte e Sul, baseada no livro de mesmo título da autora Elizabeth Gaskell, autora conterrânea de Jane Austen na lista dos Clássicos da Literatura Inglesa e conta uma história muito comparada a outro clássico muito conhecido por nós, amantes de Orgulho e Preconceito, porém ouso dizer, que é ainda melhor, pois o enredo é mais abrangente e trás problemas da sociedade industriaria na Revolução Industrial do século XIX. Com personagens de personalidade forte, decididos a lutar por aquilo que acreditam. 

Margaret Hale, nasceu em Helstone, um belo e paradisíaco condado no interior da Inglaterra. Um lugar que ela chama de paraíso e para onde deseja ardentemente retornar para a casa paroquial onde vivem seus pais. Com o casamento de sua prima, ela se enche de esperanças retornar ao lar e deixar a fria e sofisticada Londres apenas em seus pensamentos.

Nossa srta. Hale, é uma dama de muita personalidade e apesar da idade avançada para uma jovem, ela não pretende se casar sem amor... seus pais haviam se casado por amor e ela ansiava ter o mesmo tipo de relação, sendo assim, mesmo estimando o cunhado de sua prima, ela não estão disposta a se casar com ele.

Ao voltar ao lar ela descobre que o pai decidiu largar o sacerdócio para ser um professor no norte do país, na cidade industrial de Milton, onde lecionará para os ricos industriários. Desprovidos de uma renda fixa e jogados a própria sorte, os Hale chegarão a sombria e barulhenta Milton, uma cidade de pessoas orgulhosas, batalhadoras que lutam para sobreviver com os salários ínfimos que recebem trabalhando nas tecelagens.

Um dos principais motivos para estarem vivendo em Milton é o Sr. Thorton um homem cuja fama implacável chega a modesta residencia dos Hale. O primeiro contato entre nossos protagonistas acontece da pior forma possível. Ao ir procurar o homem cujo pai seria professor em sua tecelagem, Margareth se depara com um um belo homem, porém cruel.

Indignada pela forma com que o homem tratou um de seus funcionários, Margareth decide odiá-lo fervorosamente.  E recitar que o acha detestável se torna corriqueiro para ela.

Porém, os meses passam e ela descobre que apesar de frio, Thorton é um homem de caráter admirável e mesmo achando que ele rege sua tecelagem com mãos de ferro, ela passa a admirá-lo em segredo. Há algo nele, que ela nunca encontrou em cavalheiro nenhum.

Entre farpas, um vínculo começa a se formar entre eles, e uma tênue admiração começa a surgir, porém duas pessoas que se amam não podiam pensar mais diferente que esses dois. Thorton acha que administrar seus empregados com mãos de ferro é a melhor solução e Margareth acredita que se ele ouvir e suprir as necessidades de seus empregados talvez todos saiam lucrando.

Sozinha na cidade, Margareth acaba fazendo amizade com uma jovem tecelã de saúde frágil e seu pai, sindicalista. Muitas pessoas passam fome nos cortiços, os salários estão cada vez mais baixos e o trabalho cada vez mais árduo e uma greve está para estourar na cidade. Ela tenta ajudar quem aceita sua ajuda, mas como tirar do pouco que eles tem para dar aqueles que não tem nada?

Com as fabricas paradas, Thorton precisa fazer algo para cumprir os prazos com seus clientes e ao trazer irlandeses para ocuparem o lugar dos grevistas, algo realmente grave acontecerá e o isso o levará a declarar seu amor e sua admiração pela srta. Hale, mas ela não corresponderá as suas expectativas, Margareth acredita que não pode amar um homem que não está disposto a ceder em relação aqueles que precisam e ela não pode compactuar com as ideias dele.

Divididos entre seus ideias e seus sentimentos. Entre lutas por ideias, liberdade, dignidade, amor e tragédia se abaterá sobre nossos personagens. Um grande segredo os afastará... e as reviravoltas da vida os levará para os braços um do outro.

A série é simplesmente linda! Emocionante! E mesmo o romance não sendo o plano principal da história o envolvimentos dos dois é lindo demais... e os quatro únicos episódios que compõem a série e tão intensos que é impossível não ver tudo de uma única vez.

Como sou muito boazinha... mentira! Eu preciso dividir isso com vocês, pois preciso gritar pro mundo o quanto a série é boa... rsrs... E não me matem, mas o Sr. Thorton dá na cara do Mrs. Darcy. Os dois são lindos, mas o Sr. Thorton foi o único que conseguiu derrubar o Darcy do meu patamar de preferidos...rsrs

Veja online e legendado:  Ep 01 - Ep 02 - Ep 03 - Ep 04
Compre o livro - AQUI 

Essa é uma das cenas mais lindas, lindas... lindaaas... da série ♥ 

3 Comentários

  1. Adorei! A Margaret parece ser uma garota de personalidade e de fato está a frente ao seu tempo. Que mulher nessa época estaria disposta a sacrificar o que sente por colocar seus ideais em primeiro lugar? Eu achei bem legal esse lado dela. Nessa época as mulheres eram muito devotas e isso fazia com que não sobrasse nada de personalidade. Não conhecia essa série, mas certamente irei assistir quando tiver tempo.

    ResponderExcluir
  2. Oie
    As vezes me pergunto em que mundo eu vivo que nunca fico sabendo dessas séries maravilhosas.E adorei a comparação com o Lorde Belzebu kk,sendo assim já vou amar o Sr Thorton.E eu já tinha visto o livro mas como não sabia do que se tratava e a capa não me chamou atenção eu nem procurei saber mais sobre ele.Gostei bastante da série ja anotei pra assistir junto com a outra que tu indicou.

    ResponderExcluir
  3. Nunca ouvi alguém falar desta série. Mas, também, não me interessei muito, talvez pelo fato de ser de época. Tenho um enorme preconceito literário com coisas de época, principalmente os romances. Às vezes abro um exceção, como por exemplo para GoT e alguma coisa relacionado à mitologia.

    ResponderExcluir