♥ Nas Alturas ♥
Ed: 01 - Empíreo

Sinopse:
Marina é uma bela aeromoça acostumada a conquistar corações por onde passa. Franceses, italianos, israelenses, todas as nacionalidades são vítimas dos seus encantos tipicamente cariocas. Consciente de suas habilidades, ela prefere não se apegar a ninguém e deixa suas marcas em todos os lugares do mundo. A cada nova experiência, Marina se realiza plenamente como mulher, livre para fazer apenas aquilo que seus desejos mandam. Porém, suas escolhas também têm desvantagens, e ela começa a pensar se tanta liberdade vai conseguir preencher os espaços dentro de seu coração. (Inspirado em fatos reais.)



"Algo dentro dela a faz sentir falta. Falta de algo que algo que nunca teve, mas que 'sua alma' antiga sabia; 
como se tivesse a sensação de ter perdido algo, 
e que agora tinha que descobrir o que era, e procurar onde estava."
pág. 114 




VOLÚVEL E EGOCÊNTRICA!

Decididamente esse N Ã O é o tipo de livro que eu vá dizer que é M A R A V I L H O S O como já vi algumas resenhas por aí dizendo.  Gosto de um livro bem escrito, mas alguns fatores são determinantes para me cativar. Também não vou negar que a escrita de Camila Gatti é gostosa de ler, nem vou dizer que o livro não é envolvente, o livro é bom, realmente bom, mas pra mim não funcionou, não consegui ver a Marina como uma mulher sensacional, nem consegui me apiedar da situação em que ela se encontra, até porque não há motivo nenhum plausível para as atitudes dela que possam determinar toda a sua infantilidade aos vinte e oito anos.

Que idade não define maturidade, fui lendo aos trancos e barrancos me perguntando quem era mais tapado na história, os amantes de Marina, ou o fato dela achar que todos eles tinham de comer na mão dela e largar de viver a vida deles por causa de uma mulher casada que não abriria mão do mundinho dela por ninguém. Eu diria que Marina é meio egocêntrica, mas ao terminar de ler o livro eu tive certeza de que ela acredita que é o astro rei de seu pequeno universo chamado Umbigo e não me desceu.

Não vejo mal nenhum em você ir lá e fazer o que quiser da sua vida, eu mesma não tenho muitos pudores, aproveito minhas oportunidades, mas acredito que se quero sair com todos homens do mundo...  viver de baladas, viagens e etc... simplesmente não vou me casar, é uma questão de caráter (ela tem um bem duvidoso) e não machuca ninguém, não castra ninguém, nem usa ninguém. Não acredito em casamento aberto, liberal e essas besteiras modernas, até porque se quer liberdade para fazer o que quer e seguir seus desejos e anseios ser solteiro é a solução. 

Creio piamente que tudo aquilo que faço um dia vai voltar para mim, o que torna o final desse livro um tanto quanto engraçado, já que ela vai passar a vida inteira procurando por algo que nunca vai encontrar fazendo as coisas da forma errada. Um ciclo vicioso, que não vai levar ela a lugar nenhum, mesmo que ela ache que está fazendo a coisa certa.

Marina é aeromoça, entre uma aterrizagem e outra ela aproveita tudo o que pode no país que está naquele momento. Aproveita a comida, a cultura, mas principalmente os homens.  Ela tem um relacionamento com Germano, herdeiro do gado aqui no Brasil e conhece Etienne quando vai fazer um curso de francês em Paris. Ela adora Paris, e o conhece por acaso. Ela havia terminado o namoro com Germano para poder curtir na França e vive intensamente os momentos ao lado do namorado francês que seria capaz de tudo para tê-la. Ela adora ser o centro do mundo dele, porém o curso termina e a paixão esfria, ela retorna ao Brasil e retoma sua relação com Germano.

Ela é volúvel, suas paixões vem e vão conforme a sua vontade, conforme o seu desejo... e algum tempo depois ela se casa. É quando ela abre o jogo ao marido que aceita levar a relação aberta com Marina. De volta a França em escalas internacionais, ela também retoma o romance com Etienne e parecia tudo perfeito, se Ami, um antigo amante israelense liga dizendo que a ama e precisa vê-la

Marina então encasqueta que é apaixonada por Ami, que não pode viver sem ele e então você se vê às voltas com as idas e vindas dos amores volúveis e egoístas de Marina. Ela quer encontrar o amor verdadeiro, mas quer amar a todos e quer todos a amem como se ela fosse uma deusa ou o centro do universo, mas as coisas não funcionam assim... e descobrir que o mundo não gira ao redor das vontades dela será difícil para alguém tão egocêntrica. Entre drogas, bebidas e muito sexo, Marina descobre que de tanto brincar com os corações alheios aquela vida perdeu a graça, 

Só quando terminei de ler esse livro, vi que ele é baseado em fatos reais, mas posso dizer que se isso realmente aconteceu, se Marina realmente existe... meus pêsames querida, segue ai um conselho ao final da resenha que possa lhe ser útil na busca pelo tão sonhado amor verdadeiro.

Como disse, não é um livro ruim... difícil é aturar a Marina com todas essas crises, altos e baixos e blá blá blá... No fim o livro se torna uma bela lição para quem acha que viver sem limites vai trazer algo bom. Então, se quer conhecer as loucuras de Marina essa é uma boa leitura, mas se prepare... tudo é possível nessa trama e nada é o que parece.


6 Comentários

  1. Oi Ra ja nao gostei dessa Marina kkkkkkkkkk pra mim mais parece uma interessera que usa a sua beleza a seu favor afs, ja nem quero saber hahahaha ameei sua resenha e de seus conselhos para a Marina rsrsrsr acho que ela tb deve que aprendeu a liçao.. bjos

    ResponderExcluir
  2. Não me interessei em nada pelo livro, Raíssa. Essa Marina é bem egoísta e egocêntrica, hein. Acha que o mundo e os homens estão a sua disposição, e também não acredito nem um pouco em casamento aberto. Acho que se você quer curtir tudo e todos que aparece, para que casar?

    ResponderExcluir
  3. Olha, só de ler a sinopse lá em cima, já senti vontade de socar essa Marina. É o tipo de mulher fútil, completamente superficial. E sabe o que é pior? Existe muitas Marinas por aí, né? Acho que não conseguiria terminar de ler o livro.

    ResponderExcluir
  4. Pela capa eu imagina um livro totalmente diferente. De principio ate goste do livro... ate ler a sinopse e sua resenha. Se a personagem é assim não vou me identificar com e irei ficar com muita raiva dela, então acho melhor nem tentar ler.

    ResponderExcluir
  5. Pela capa eu imagina um livro totalmente diferente. De principio ate goste do livro... ate ler a sinopse e sua resenha. Se a personagem é assim não vou me identificar com e irei ficar com muita raiva dela, então acho melhor nem tentar ler.

    ResponderExcluir
  6. Gostei do livro pelo fato do jeitinho carioca de Marina, o que mostra que temos uma protagonista extremamente brasileira. A falta de preenchimento em seu coração, com certeza a fará refletir sobre os seus atos e devaneios em cada país e ela encontrará o seu verdadeiro amor. Bom, assim espero.

    ResponderExcluir