(Este livro não é recomendado para menores de 18 anos)
♥ Ligeiramente Maliciosos ♥
Ed: 01 - Arqueiro
Sinopse:
Após sofrer um acidente com a diligência em que viajava, Judith Law fica presa à beira da estrada no que parece ser o pior dia de sua vida. No entanto, sua sorte muda quando é resgatada por Ralf Bedard, um atraente cavaleiro de sorriso zombeteiro que se prontifica a levá-la até a estalagem mais próxima. Filha de um rigoroso pastor, Judith vê no convite do Sr. Bedard a chance de experimentar uma aventura e se apresenta como Claire Campbell, uma atriz independente e confiante, a caminho de York para interpretar um novo papel. A atração entre o casal é instantânea e, num jogo de sedução e mentiras, a jovem dama se entrega a uma tórrida e inesquecível noite de amor. Judith só não desconfia de que não é a única a usar uma identidade falsa. Ralf Bedard é ninguém menos do que lorde Rannulf Bedwyn, irmão do duque de Bewcastle, que partia para Grandmaison Park a fim de cortejar sua futura noiva: a Srta. Julianne Effingham, prima de Judith. Quando os dois se reencontram e as máscaras caem, eles precisam tomar uma decisão: seguir com seus papéis de acordo com o que todos consideram socialmente aceitável ou se entregar a uma paixão avassaladora? 


"-(...) o amor não é físico, mental ou emocional. 
É maior do que todas essas coisas. 
É a verdadeira essência da própria vida, não concorda? 
Esse grande mistério que não se pode expressar, 
que passamos a compreender melhor através da descoberta do ser amado.
Ajude-me com isso, Judith." 
pág. 280.


AH... O AMOR!!!

Como já havia explicado na resenha de Ligeiramente Casados, só encarei essa série por causa desse livro e só posso dizer que caí de amores pela escrita da Mary Balogh. Quando Rannulf Bedwyn surgiu na trama anterior, tão nórdico, enoooorme, os longos cabelos claros fazendo-o parecer um viking, eu pensei: 'Já te amo!'. Eu sabia que o livro dele iria me arrebatar, que ele seria o melhor Bedwyn (tenho afinidade por ele, Alleyne e pela Morgan) e não me enganei.

Rannulf é o Bedwyn, mais meio termo, talvez o mais humano dos três irmãos mais velhos, ele não é tão frio quanto Wulf e Aidan, mas é reservado; nem tão dado e bem humorado quanto o Alleyne (não sei como escreve... rsrs... prometo aprender até o livro dele... rs), mas tem um encanto que só vendo. Como disse, ele é humano, simpático, prestativo, menos preconceituoso e é a coisa mais perfeita do mundo também. Ao contrário do Aidan, ele não deixa o Wulf falar mal de Judith e não permite que o irmão tente interferir em sua relação com a moça ♥ amor demais!

Judith é um pouco mais complicada. Há quem acredite que sua decisão de se entregar para um estranho na estrada seja loucura, mas de certa forma eu a compreendo. Ela passou a vida inteira sendo chamada de feia por ter sardas, seu pai dizia que seus cabelos eram infernais, que se ela se arrumasse se tornaria lasciva e a ruina de toda a família, então, ela passou a vida inteira acreditando que era uma moça sem dotes físicos, rechonchuda demais, alta demais... ruiva demais. Seu irmão, Branwell, é um jogador metido a malandro que está levando a família a ruína, o que fez seu pai pedir ajuda a irmã. Só que diante de tamanha oferta, a tia de Jude, pede que uma das moças seja enviada para sua casa a fim de se tornar dama de companhia de sua avó. Sabendo que sua sina era viver só, Judith se propõe a ir trabalhar como criada na casa da tia. E é quando a diligência em que ela esta tomba na estrada que ela decide viver uma pequena aventura para guardar para si boas lembranças para os tempestuosos dias que viriam.

Judith nunca fora beijada e quando o misterioso Sr. Bedard lhe rouba um beijo, ela está certa que precisa viver o papel de Claire Campbell, uma atriz ousada e se entrega ao belo e másculo estranho, sem saber que além de seu corpo ela também lhe entregaria sua alma. 

Dois dias de tórrida paixão, levam a Ralf a desistir de tudo e seguir a bela e quente Claire até Nova Iorque, mas não poderia estar mais enganado quanto a identidade dela. Após uma fuga intempestiva da moça ele se vê a caminho novamente da propriedade de sua avó, sentindo-se ultrajado com o fato de Claire ser virgem, fato que ele só vai ter ciência após a mulher do estalajadeiro lhe informar.

Ao chegar na casa da avó, Ralf descobre que a saúde da boa senhora não anda muito boa e ele aceita ao menos cortejar a neta de uma velha amiga da senhora. Mas há algo extremamente familiar na srta. Law, a acompanhante da extravagante Sra. Law, aqueles olhos... ele já os havia visto em algum lugar e a certeza de que Judith Law, filha de um vigário, neta da melhor amiga de sua avó, filha de um cavalheiro, era ninguém mais ninguém menos que a ousada Claire Campbell.

Seu humor não está dos melhores, com o que acaba de descobrir e Claire está decidida a não se casar com ele porque o orgulho dele encontra-se ferido. E enquanto eles tem de lidar com forte atração que sentem um pelo outro, Judith tem de assistir diariamente a corte de Lorde Rannulf Bedwyn, filho de um duque, segundo nobre na linha de sucessão de um poderoso ducado inglês, a sua bem nascida e rica prima.

Os dois foram pegos na mentira, mas a atração ainda os possui. Há uma necessidade infinda dominando-os e após uma tentativa de estupro, Ralf e Jude encontram um inimigo asqueroso, capaz de tudo para destruir a ambos. Todos sabem que Ralf não está nem um pouco interessado em pedir a mão da pedante Julliene em casamento e um pérfido plano será tramado para fisgá-lo, mas Judith o arruinará, sem saber que outro plano, ainda mais pérfido que o anterior, poderá maculá-la para sempre.

Acusada e humilhada, Judith escapa para buscar o irmão, que também está em apuros... Rannulf é o único que acredita na inocência de Jude e está disposto a provar à todos, até mesmo ao seu irmão, que Judith Law era inocente... e a mulher de sua vida para todo o sempre!

Nada vai ser muito fácil para esse casal, muito menos quando Ralf descobrir que está perdidamente apaixonado pela tempestuosa e teimosa Judith que cisma em dizer que não é o partido ideal para o filho de um nobre duque.

Então, entre altos e baixos, entre flertes e conversas singelas, o romance dos dois se descortinará, assim como o motivo pelo qual todos escondem a exuberante beleza de Judith, ou ainda seu talento em atuar, mas ninguém a deixará de lado, ninguém apagará o radiante brilho que a envolve... ao menos, não enquanto Rannulf Bedwyn caminhar pela face da Terra e a amar acima de todas as coisas.

O livro é uma sequencia deliciosa de acontecimentos, após o inicio carregado de sensualidade e intensidade, os demais acontecimentos do livro vem de forma mais branda. Trabalhando nossos sentimentos e os sentimentos de nossos personagens. Mary Balogh nos envolve nessa trama de forma intensa que é impossivel largar o livro até que este esteja terminado, eu o li em um dia. 

O romance é envolvente, apaixonante... viciante! Se ama romances de época, corra para ler essa série e se encantar com os altos baixos de uma família nada fácil de lidar...

Vou ficar aguardando Ligeiramente Escandalosos, pois agora quero muito conhecer o misterioso par romântico de Freyja, assim como o par dos demais irmãos que ainda estão por vir..

 book cover of 

Slightly Wicked

10 Comentários

  1. Raíssa, eu ainda não li nada da autora, mas só por ser um romance de época já ganha vários pontos comigo.
    Preciso ler essa série porque parece ser muito boa e cheia de altos e baixos na trama.
    Com certeza entrou para a lista de desejados.

    ResponderExcluir
  2. Oi Raíssa, estou apaixonada pela escrita da autora, simples e divertida, mas dina de um encanto único. Os personagens são ótimos, não tem nada de chato, e me diverti e suspirei pelos dois.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  3. Ameeei a sinopse desse livro, ele deve ser divertidissimo e é de epoca uma coisa
    que adoorooo hahaha, nao li nada da autora mais esse livro é bem comentado,
    queria mto saber mais essa mentira deve que deu o que falar shuahsa
    ameei a resenha estou bem curiosa bjos

    ResponderExcluir
  4. nossa essa historia é incriveel que menina doidinha hahah
    onde ja se viu isso se entregar pro primeiro que aparece, nossa deve foi uma confusao na descorberta neeh, estou tmo curiosaa queo mtoo lê-looo ameeeeei.

    ResponderExcluir
  5. amoo romance de epoca nossa esse ja estava na minha lista faz tempo cada resenha que leio dele mais a vontade aumentar de lê-lo ameei sua resenha só me deixou mais curiosa hahaha bjos

    ResponderExcluir
  6. Li Ligeiramente Casados e adorei. Foi meu primeiro contato com a escrita da autora. Ainda não li Ligeiramente Maliciosos, mas ele já está na minha lista de desejados desde o seu lançamento, mas como tenho uma pilha enorme de livros para ler, vou ter que esperar um pouquinho. Sou uma leitora voraz de romances de época, adoro o gênero.

    ResponderExcluir
  7. Não conhecia a autora, mas minha pergunta é: Essa é daquelas séries que podem ser lidas independentemente? Eu nunca li romances históricos, além das peças de Shakespeare, ainda não achei um livro do gênero que me deixasse louca para lê-lo. Embora o enredo pareça até ser bom, não me instigou a ponto de dizer "PRECISO LER", mas acho que leria após uma resseca literária, sem problemas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ingrid, pode ser lido separado sim, conta a história de cada irmão em separado, eu li seguido porque tenho essa mania de só ler uma série se tiver lido o livro anterior, mesmo sendo independente... kkkkkkkkkkkk

      Excluir
  8. Nunca li nada da autora mas achei interessante, tambem nunca li nenhum romance de época mas pretendo ler este pois achei meio a cara de alguns livros que li recentemente. E adoro livros que tenham sequencia mas contam histórias de pessoas diferentes, pelo menos não canso tanto dos personagens. Ah, e essa capa me lembrou algum livro sobre casamento, não sei por que haha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O primeiro livro da série é Ligeiramente Casados, Flor... deve ser por isso que te lembrou a casamento... as capas da série são todas parecidas... rsrs

      Excluir