(Este livro não é recomendado para menores de 18 anos)
♥ Ligeiramente Casados ♥
Ed: 01 - Arqueiro
Sinopse:
À beira da morte, o capitão Percival Morris fez um último pedido a seu oficial superior: que ele levasse a notícia de seu falecimento a sua irmã e que a protegesse "Custe o que custar!". Quando o honrado coronel lorde Aidan Bedwyn chega ao Solar Ringwood para cumprir sua promessa, encontra uma propriedade próspera, administrada por Eve, uma jovem generosa e independente que não quer a proteção de homem nenhum. Porém Aidan descobre que, por causa da morte prematura do irmão, Eve perderá sua fortuna e será despejada, junto com todas as pessoas que dependem dela... a menos que cumpra uma condição deixada no testamento do pai: casar-se antes do primeiro aniversário da morte dele o que acontecerá em quatro dias. Fiel à sua promessa, o lorde propõe um casamento de conveniência para que a jovem mantenha sua herança. Após a cerimônia, ela poderá voltar para sua vida no campo e ele, para sua carreira militar. Só que o duque de Bewcastle, irmão mais velho do coronel, descobre que Aidan se casou e exige que a nova Bedwyn seja devidamente apresentada à rainha. Então os poucos dias em que ficariam juntos se transformam em semanas, até que eles começam a imaginar como seria não estarem apenas ligeiramente casados...



"- Nós Bedwyns, sempre levamos o casamento muito a sério, Eve. 
Qualquer pessoa que se case com um de nós precisa estar preparada 
para ser amada e cuidada pelo resto da vida." 
pág 280

AH, QUE AMOR!

Estou decididamente apaixonada por esse livro, quando ele foi lançado não dei lá muita bola, pois achei a sinopse e o enredo muito previsível e vocês sabem como sou chata pra romances históricos regênciais, aquela história de sempre de bailes e mais bailes e as mocinhas idiotamente virginais se apaixonando pelos libertinos mais cretinos da alta sociedade (um saco). Então, a editora Arqueiro lançou em maio o segundo volume, Ligeiramente Maliciosos, e assim que li a sinopse dele disse a mim mesma que precisava lê-lo, mas para encarar a leitura dele eu precisava ler Ligeiramente Casados, então lá fui eu, solicitar com nossa parceiraça e cair nessa leitura que foi simplesmente arrebatadora. Foi tão arrebatadora que peguei para ler na sexta e no sábado já havia terminado a leitura, sim virei a noite e não me arrependo de nada, que delicia de leitura.

Eu evito fazer comparações com outras séries ou com outros autores, mas nessa série me sinto impelida a dizer que é oposta aos Hathaway que amei tanto da Lisa Kleypas. A escrita de Mary Balough é fluida e sutilmente ela te prende ao enredo, mas a família criada por ela nada tem de divertida ou carismática, ao contrário dos Hathaways, os Bedwyns são mal-humorados, sisudos, que levam a honra e seus deveres acima de todas as coisas, evitam amar, evitam se envolver, e... não sei como explicar, mas pelo que vi apenas Ralf, Aleynne e Morgan tem senso de humor nessa família. O duque, o irmão mais velho, Wulf é um tirano de gelo, gente que ódio desse cara; Aidan, nosso mocinho, não dá um sorriso e Freya, uma das irmãs só deixa de ser esnobe quando Eve faz todo mundo engolir o título de nobreza deles. Se eu fosse falar mais dessa família, não sairia um elogio... eles são incrivelmente pedantes e irritantes.

Sendo assim, você deve estar se perguntando, se eles são tão irritantemente chatos e pés-no-saco como você pode ter gostado tanto do livro? Bem, por causa da Eve, a mocinha burguesa, filha de um mineiro de carvão galês, que perdeu o irmão em batalha e por necessidade se casou com o coronel Lorde Aidan Bedwyn para salvar seus filhos adotivos e as pessoas que trabalham com ela que não conseguiriam trabalho em outro lugar, caso ela perdesse tudo. Uma mocinha muito boa? Talvez, mas com um orgulho enorme de quem é e das suas origens capaz de fazer os esnobes Bedwyn engolir toda a soberba que há neles.

Aidan Bedwyn nunca quis ser militar, sempre amou a terra, a agricultura e a administração de propriedades, infelizmente ele era o segundo filho do Duque de Bewcastle, e quando decidiu ajudar seu irmão Wulf a melhorar as propriedades da família, ganhou para si uma patente no Exército da Rainha. Uma sutil mensagem que dizia a ele que seu irmão, seu velho e bom amigo, não queria ele por perto. Doze anos depois, Ainda é um homem frio, sem motivo algum para ser algo além de um homem honrado. São doze anos de batalhas e mortes que o levam a dever sua própria vida ao capitão Morris, que agora agoniza em seus braços fazendo-o prometer cuidar de sua irmã custasse o que custasse.

De volta a Inglaterra em uma licença especial de dois meses, Aidan não esperava ter de se casar com a srta. Morris para salvar-lhe a fortuna e a propriedade. Ele tinha seus próprios planos para formar uma família e se casar com Eve, mudou tudo na vida de ambos. Uma licença especial e um trato de nunca mais se verem firma o negócio entre eles, porém... um convite encaminhado ao Duque de Bewcastle pode mudar tudo.

Wulf quer de qualquer forma integrar Eve, por mais incorreta que ela seja para os conceitos sociais dele, como esposa de seu irmão para a alta sociedade inglesa. Ele teme um escândalo e contra a vontade de Aidan, ele vai até Ringwood e praticamente chantageia Eve a acompanhá-lo até Londres para uma apresentação oficial a rainha e aos demais esnobes ingleses.

Ao chegar em Londres, todos os Bedwyn tratam Eve como se fosse ralé. Aidan não está nem um pouco feliz e fala coisas que Eve não merecia ouvir, decidida a voltar para casa, eles enfim acabam consumando o casamento e quando o marido diz que ela não seria capaz de sobreviver aos abutres da alta sociedade é que Eve decide provar o contrário. E fazer todos, até mesmo seu marido, morder a lingua e engolir toda aquela soberba é uma missão para ela.

Eve não permitirá que os Bedwyn ditem como ela deve ser ou agir e provar a eles que a filha de um mineiro de carvão galês é capaz de ser muito mais nobre que todos eles juntos é uma questão de honra. O convívio com o marido está cada dia mais confuso. Aidan é um homem misterioso, sério, e quanto mais o conhece, mais intrigada e apaixonada Eve vai ficando.

Nada daquilo estava nos planos de Aidan, muito menos perder o coração para aquela bela e bondosa mulher, mas seria ele capaz de largar tudo para viver com ela? Será que ela o amaria tanto quanto ele a estava amando? Entre altos e baixos, muitas incertezas os assombrarão e apenas um momento longe de tudo e de todos será propício para que as vendas caiam, as barreiras venham por terra e o amor prevaleça!

O desenrolar dessa história é deliciosa! Não senti muita conexão nas cenas mais quentes entre o casal, mas acho que é pelo fato da autora não trabalhar o sensual como um foco entre eles o motivo de achar as relações deles um pouco frias. Porém, o romance é uma delicia, a forma como eles vão se conhecendo, como vão se abrindo ao que estão sentindo, as muitas incertezas e a coragem de Eve, as lições de moral que ela dá para o cunhado e todos eles. O livro é recheado de bons diálogos. Ela não baixa a cabeça hora nenhuma e isso torna o romance forte, a conquista mais saborosa e os motivos para sorrir sempre muito preciosos.

O romance é sutil, envolvente nas pequenas coisas mesmo que grandes coisas tenham de acontecer para que esse amor enfim se concretize. Estou simplesmente, encantada! Que venha Ligeiramente Maliciosos e os demais livros dessa série

book cover of 

Slightly Married

12 Comentários

  1. Olha, se tem uma coisa que eu detestei (e me fez criar um preconceito absurdo com romance histórico) é isso da mocinha virgem se apaixonar pelo canalha, aí o canalha se apaixona pela mocinha e vira um mocinho, rs. E fica nisso! Sem um pano de fundo interessante. É extremamente clichê e irritante!
    Depois de ler várias e várias resenhas de diversos livros desse gênero, resolvi que darei mais uma chance. Estava em dúvida entre Julia Quinn e Mary Balogh, mas gostei do que você escreveu, então estou mais inclinada para esse. Apesar de gostar de romance com uns toques "picantes" entendo que esse não é o foco da obra.

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pelo que falou, FUJA de Julia Quinn, ao meu ver é a mais clichê de todas, pra mim não desceu. Vá de Mary Balogh e ainda indico Lisa Kleypas que foge totalmente dos padrões clichês dos romances históricos (tem resenha dos Hathaways aqui no blog se quiser dar uma olhada)

      Excluir
  2. Li esse livro sem nem conhecer a autora e a série, apenas por ele ser de época, sou super fã desse gênero literário, e fiquei encantada por ele. Amei a história de Eve e Aidan, a postura de Eve diante da vida, a forma segura e decidida que ela enfrenta os problemas, uma verdadeira heroína, bem diferente do comum. Depois de lê-lo, fiquei sabendo que seria uma série, mas ainda não adquiri o segundo volume, apesar de estar ansiosa para continuar a ler a série.
    Diferente de você Raíssa, sou apaixonada pelos livros da Julia Quinn, gosto também da Lisa Kleypas. Tudo que é história de época me encanta, mesmo que sejam clichês.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Julia Quinn não me desce, amo romances de época, mas tem uns que são bestas demais, tão bestas que não me arrebatam como a Mary e a Lisa fizeram. Os personagens delas são muito humanos, com problemas reais! Há tanto a explorar no passado, não precisa ser só chá, nobreza e bailes. Que todos sejam criativos e usem e abusem dela para que mais livros de epoca sejam lançados. ;) Eu amei a Eve e odiei os Bedwyn, menos o Alleyne e Aidan me conquistou aos poucos... rsrs

      Excluir
  3. Amooo romance de época e quando siu esse livro quase surtei querendo
    e ate hj nao tive a oportunidade de ler,
    mais todos falam mto bem dele e com sua resenha estou pirando pra ler logo
    Aidan é simplesmente lindooo ja quero mtoo esse livro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah!! O Aidan quando resolve ser fofo é perfeito demais, apaixonante! ♥

      Excluir
  4. Capa lindaaa nossa amei essa capa, e a historia magnifica
    Ainda deve acabar se apaixonndo por ela neh, deve ser mtoo fofo esse romance
    quero mto ler faz tempo desde quando foi lançado..
    esses romances de época e sempre mto lindooo..
    amei a resenha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse livro é muito amor. Não deixe de ler... é lindo!

      Excluir
  5. esse livrooo deve ser tuudooo de boom
    além de ser de época o que adoroo ainda vem desses romances sem ser planejados
    ameeei, mtoo lindo, Aidan pelo o jeito e mtoo fofo
    quero pra onteeeem
    ameei sua resenha bjus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É lindo... lindo.. lindo!!! Se puder leia sim, os dois personagens são ótimo e encantadores ♥

      Excluir
  6. Me ganhou quando disse que os personagens são sisudos. hahaha
    Por que? Simples, me identifico.
    Apaixonei e preciso ler, mas ainda não tive a oportunidade de pedir para a editora.
    Espero ler em breve e que você traga logo a resenha do segundo. :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vou tentar lutar com minha preguiça e vou ler ainda no mês que vem ♥ aproveitar o feriado.. rsrs

      Excluir