♥ O Espadachim de Carvão ♥ Ed: 03 - Selo Fantasy (LeYa)
Filho de um dos quatro deuses de Kurgala, Adapak vive com o pai em sua ilha sagrada, afastada e adorada pelas diferentes espécies do mundo. Lá, o jovem de pele absolutamente negra e olhos brancos cresceu com todo o conhecimento divino a seu dispor, mas consciente de que nunca poderia deixar sua morada. Ao completar dezenove anos, no entanto, isso muda. Testemunhando a ilha ser invadida por um misterioso grupo de assassinos, Adapak se vê forçado a fugir pela vida e se expor aos olhos do mundo pela primeira vez, aplicando seus conhecimentos e uma exótica técnica de combate na busca pela identidade daqueles que desejam a morte dos Deuses de Kurgala.

" - Porque a curiosidade vence o medo de maneira mais eficaz que a bravura."
pág. 80


Cá estou eu, com a cara queimando de vergonha, pois essa resenha era pra ter sido publicada no sábado passado. Vocês devem ter notado meu sumiço, não? Mas aqui na minha cidade fez tanto calor, mas tanto calor... que o inferno tava geladinho os últimos dias. E eu e calor, somos como Super-Homem e Kriptonita, não rola... então, foi por essa razão que demorei tanto e peço-lhes desculpas por isso, pois gostei muitíssimo do livro e não gostaria que vocês pensassem o contrário.

Eu estava há algum tempo namorando esse livro no site da Submarino. Vocês sabem que estou aproveitando essa maré excelente levantada pela série Game Of Thrones para aumentar minha coleção de livros fantásticos né? Então, simplesmente não posso ver um que já fico namorando ele por meses, até que ele entre em um preço acessível no site. Então, esse dia chegou, justamente após ouvir um NerdCast no site do Jovem Nerd que reunia um grupo pesado de autores nacionais de fantasia falando sobre os mundos fantásticos criados por eles e outros autores do ramo.

A capa de O Espadachim de Carvão já me intrigava e me instigava, mas ainda tinha meus receios quanto a leitura, mas eles só poderiam ser sanados após a leitura e lá fui eu. Confesso que o primeiro capítulo foi um tanto quanto estranho para mim, mas isso acontece com todos os livros que começam com algum tipo de batalha, fico completamente perdida. Isso aconteceu com A Guerra dos Tronos e Tigana: Lâmina na Alma, livros excelentes que logo de cara fizeram meu cérebro dar curto com tanta informação em tão poucas páginas.

O livro tem pouquíssimas paginas, apenas 255, e todo o desenvolvimento e apresentação dos personagens se dá pelos muitos diálogos contidos no livro. Isso faz a leitura ser rápida. A linguagem com que Affonso escreve é bem simples, apesar dos nomes estranhos para os seres criados por ele, o autor consegue te por dentro da trama e me peguei desejando poder percorrer Kurgala e conhecer sua natureza e povo, pois realmente tudo me fascinou. Ah! Já ia me esquecendo... Solano também mescla uma fantasia dentro de outra, criando uma série de livros fantásticos sitados sempre por Adapak. Ele intercala também o passado com a aventura presente e tudo isso é costurado de uma forma que faça sentido e você conheça todos os pontos da trama inicial, assim como seus seres, mitologia e etc.

Esse é um livro diferente de todos que li, repletos de monstros e seres multicoloridos tão cheios de magia quanto maldade. Adapak é um personagem cativante, ao meu ver, toda a sua inocência unida a sua honradez e princípios morais fazem com que ele seja 'O' herói entre os heróis. Um rapaz estudioso, descobrindo um mundo, conhecido apenas pelas páginas dos livros, através da maior e mais perigosa aventura que alguém poderia embarcar.

O livro é o primeiro de uma série. Não encontrei mais informações sobre quantos volumes haverão, mas é certo que Solano vai nos brindar com mais livros, dando sequencia assim à aventura de Adapak em busca da verdade sobre a sua existência. Não faço ideia do que está por vir, mas pelo final desse primeiro volume, posso garantir que não vai ser nada fácil para esse rapaz sem espécie ou origem definida... Ansiosa! É a única coisa que posso dizer.

Como disse, logo de cara encontramos Adapak encurralado em um casebre, sendo atacado um grupo de guandirianos, monstros com uma couraça dura cuja visão limitada se dá através da vibração dos sons. Ele não faz ideia do porque está sendo perseguido, ou o motivo pelo qual havia sido atacado em sua casa no Lago Sem Ilha. O mundo fora da casa de seu pai, um dos quatro deuses de Kurgala, era totalmente diferente do mundo que ele conhecia pelas páginas dos livros e enciclopédias e lidar com toda essa informação, mais os atentados contra sua vida seria complicado. 

Até os quatro anos de idade Adapak foa criado por Barutir, um sacerdote da casa de seu pai, e encontrá-lo depois de tantos ciclos se torna sua busca inicial. Se alguém poderia ajudá-lo, esse alguém era o sacerdote que o criara, mas nada parece ser tão simples assim... por sua aparência destoante, Adapak é recebido com receio por onde passa... Ele é negro como o carvão, seus olhos são brancos, não há um pelo sequer em seu corpo e a falta das cartilagens das orelhas e nariz fazem com que ele seja olhado com receio por aqueles que temem a diferença.

Nessa busca para entender o porque o querem morto, nosso herói vai descobrindo que o mundo não é feito de fantasia, que a maldade pode estar onde menos se espera e que a loucura é a religião dos perversos. Entre perseguições, lutas sanguinárias e alusões de amor, nosso herói vai conhecendo pessoas de suma importância para o seu desenvolvimento pessoal e o de sua viagem... brindando-nos com final cheio de mistérios, deixando-nos ávidos para saber o que está por vir.

Eu poderia descrever cada momento de ação que li no livro, poderia contar tudo tintim por tintim, mas vejo cada uma das cenas como pontos importantes para o desenrolar dessa trama inicial, então para não dar 'spoiler', isso é tudo que posso lhes dizer. E garanto... quando vocês souberem quem está atrás dele, ficarão com o queixo tão caído quanto o meu.

O livro é singelo e ao mesmo tempo agressivo. Há pureza e morte impregnados nas páginas dele de forma tão sutil que torna sua trama digna da premissa 'ame ou odeie'. Há aqueles que esperavam mais, mas com toda certeza existem aqueles que sentiram mais... e eu fui uma dessas pessoas.

Recomendaria o livro a todos se o pudesse fazer sem ser ameaçada de morte pelos meus leitores, então deixo a dica, não para quem gosta, mas para quem é um aficionado por fantasia. O livro poderá não te surpreender, mas com certeza irá te levar numa deliciosa aventura que está apenas começando...

Fanart retirada no Google, 
Se conhecer a fonte, deixe nos comentários para que sejam dados os devidos créditos.



8 Comentários

  1. Então, culpo vc por alimentar meu vicio em livros de fantasia, sempre achei bom,mais agora viciei se fico muito tempo sem ler um bom livro tenho tremores, é impressão minha ou essas capas ficam cada vez melhores?Estava esperando essa resenha para poder comprar o livro, fiquei meio triste com o fato do segundo não ter saido, o jeito é esperar.

    ResponderExcluir
  2. Affonso Solano! É o próximo do meu criado-mudo! Muito curioso pra conhecê-lo. Valeu pela dica do nerdcast também. Vou agora mesmo procurá-lo.

    Conheci seu blog ontem. Gostei muito do que vi e li. Parabéns.

    ResponderExcluir
  3. hummm, não sei em se vou ler. Acho que tá mais para não, mesmo a resenha sendo boa não me chama muito esses tipos de livro :/

    ResponderExcluir
  4. Vc gostou mesmo desse livro né? Conseguiu me deixar curiosa sobre a história e o personagem principal... Não é um dos meus gêneros favoritos, mas ultimamente os autores nacionais estão numa fase tão boa, que acho que vou acabar surpreendida com a história!

    Beijos!!

    ResponderExcluir
  5. Nãoleio muito fantasia e nem sei explicar o motivo porque na verdade acho sempre original a criação dos universos. Acredito que eu iria gostar da serie, mas sem os outros livros lançados dá um medinho de ficar na paranoia esperando...
    A capa é um arraso!!!

    ResponderExcluir
  6. Apesar de eu não gostar do gênero, vc conseguiu me deixar curiosa com essa resenha super empolgadona.
    A capa é lindíssima!

    ResponderExcluir
  7. Oiee Raíssa!
    Também não sou muito fã de calor não, e olha que moro no Nordeste.
    Quanto ao livro apesar de ter ficado bem curiosa ainda assim não fiquei tão interessada a ponto de querer lê-lo, esse tipo de livro fico torcendo pra que vá pra telona porque senão eu não fico sabendo da história porque não leio, tenho uma preguiça desse gênero que não me larga, ou seja, não pretendo ler.
    Bjokas!

    ResponderExcluir
  8. Fico feliz que os autores brasileiros venham ganhando cada vez mais espaço no mundo dos livros, e tem cada talento nesse meio, e esse aqui não é exceção.
    Livros de fantasia é um dos gêneros que amo. O espadachim de carvão parece ser um daqueles livros que ti prende do começo ao fim, e você não consegui larga-lo até terminar. Capa linda, enredo envolvente...
    Com certeza essa série entrou na minha lista de desejados!!

    Bjos!

    ResponderExcluir