Viagens de uma Psicóloga em Crise - Ed: 01 - Editora Incentivar
O livro se passa em parte na Índia, em parte nos bastidores do mundo mental de uma mulher de 36 anos, que relembra uma viagem que fez sozinha quando era estudante de psicologia. Em meio às aventuras que passou visitando Auroville, uma “comunidade alternativa”, o ashram do Sai Baba, e a cidade sagrada de Varanasi; ela também expões seus pensamentos conflituosos do passado a respeito da escolha da profissão, da sua relação com Deus e com o mundo dos relacionamentos amorosos. No último terço do livro, a autora conta como foi saindo de algumas de suas “crises” ao questionar pensamentos velhos e obsoletos e reconstruir sua maneira de pensar. Escrito com a ideia de transmitir leveza e diversão, o livro também pode ser fonte para reflexão sobre como cada um conduz sua própria vida.

Viagens de uma psicóloga em crise

Há alguns meses eu recebi o livro de presente de minha prima e fiquei bem curiosa ao ler a sinopse e tudo o mais. Fiquei ainda mais animada pelo fato do livro ser bem fininho o que faria da leitura bem rápida. Aproveitei as minhas férias e para começar, porque não pegar as viagens de uma psicologa em crise? Então, lá fui eu, quente, achando que a Graziela havia escrito uma autobiografia romanceada, com passagens engraçadas, dramas interessantes e... eu estava enganada. A capa promete muito e o livro deve tanto quanto.

Não estou dizendo que o livro seja ruim, mas decididamente ele é voltado para os estudantes de psicologia ou para psicólogos em si. Foi o que eu senti no livro do inicio ao fim, a leitura que eu acreditei ser rápida... acabou virando um martírio, mas prossegui... que eu não sou a pessoa mais equilibrada do mundo é sabido por todos, mas ninguém é normal, não é verdade? Foi quando ela começou a falar de suas crises quanto ao que queria fazer da vida que me animei, mas ela não explanou a fundo e achei a auto analise feita por ela mesma muito rasa. Os medos em si foram muito parecidos com os meus e a necessidade de encontrar a verdade em uma profissão que me apraz também, porém terminou ai. Ela não disse o que levou ela em si a saber que a psicologia era a sua profissão, bem, ela disse, porém não achei o relato convincente ao ponto de me dar alguma coisa para pensar sobre o assunto e tomar meu próprio caminho de auto analise do que pode ser ou não o meu futuro profissional.

Eu que não fui para a Índia descobri muito mais que ela observando a existência ao meu redor aqui mesmo no Brasil, tanto porque miséria, fome e falta de saneamento básico também temos aqui, mas enfim... sou brasileira e não desisto nunca... continuei a leitura e ela simplesmente parou de falar da Índia e suas busca pessoais para falar de religião... pura encheção de linguiça. Respeito todas as religiões, nada contra nenhuma delas, mas algumas coisas ela viajou na batatinha ali e achei desnecessária explanação que ela deu sobre si e a religião que mais a atrai e tudo o mais, a autora passa muito tempo se explicando sobre o porque de achar aquela religião mais interessante e acaba sem um pouco catequista em relação a ela e é desnecessário... 

Deus está em todos os lugares, o meu Deus é mesmo Deus que o das demais religiões... Então, uma busca espiritual e uma afinidade com determinada religião é de cada um... acho que ela deveria ter se prendido a importância de se acreditar em algo além do que os olhos podem ver, sem puxar sardinha para a religião dela. A alma é única, assim como cada fé e enaltecer essa ou aquela, na boa... não faz parte de uma comunidade laica.

Pra resumir beeeemmm o que estou querendo dizer... a autora falou, falou e não disse nada... ao menos não para mim. Como já disse um milhão de vezes, não existe livro ruim, existe livro errado para o leitor errado e esse foi bem o meu caso. Cheguei a me perguntar várias vezes se minha prima, a que me deu o livro, me achava assim tão perturbada das ideias ao ponto de me indicar o livro, mas descartei a hipótese... ela se identificou com a leitura e achou que poderia me agradar também, apenas isso. 

O livro começa com uma Graziela de vinte e um anos desembarcando na Índia. Para quem viveu no exterior parte da vida e ter de ir para a Índia para se auto descobrir, achei meio fora de contexto, como disse, ela já havia retornado para o Brasil e aqui já tem o suficiente para dar um choque na realidade de qualquer um acostumado a uma cultura um pouco mais organizada que a nossa, mas deixei pra lá. Tentei não pintar a autora como uma menininha mimada, chamando a atenção, cada um tem seus motivos e encontra seu caminho no caminho que lhe é melhor trilhar.

Enfim, a Grazi desembarca na Índia e simplesmente vai para um fim de mundo do caramba, onde ela inicia uma auto análise de si e uma análise do ambiente em que vive e as necessidades ao seu redor. Ela disserta sobre seus medos quanto ao futuro, seus receios quanto a existência ou não de uma divindade e por aí vai. Culminando, enfim, com seu retorno ao Brasil e à realidade.

Se a autora descobriu o que queria em sua viagem, relatada no livro, eu não sei, mas com certeza ela aprendeu a olhar mais para si e tentar compreender dentro dela o que necessitava de concerto, sem necessariamente precisar buscar respostas em livros ou no cosmos (não é o marido da Vanda... rsrs). E talvez seja essa a verdadeira moral do livro, auto analise e vivência. Talvez às respostas estejam ao seu lado ou do outro lado da rua, ou ainda dentro de você em algum lugar, basta você parar de olhar para o próprio umbigo e ver que na experiência do outro você pode encontrar o que procura.

Não foi um livro que realmente tenha abalado minhas estruturas, mas está aí para aqueles que se interessam. Provavelmente o lerei novamente em uma outra fase de minha vida para ver se minha analise sobre ele continuará a mesma. 

* * *

Este livro é uma publicação brasileira, não há uma publicação portuguesa para o volume.

6 Comentários

  1. Acheii livro bastante vesatico
    A autora soube bem descreve a viagem deixando a gente
    como ser tivesse no lugar da protagonista e isso e o mais
    legal.

    ResponderExcluir
  2. Lembro quando vc mostou esse livro aqui no blog, dizendo que tinha ganhado de presente....e na época achei ele bem interessante...e estava aguardando a resenha!
    Estava bem empolgada com a resenha, mas confesso que me desanimei um pouco ao lê-la... pareceu-me, pela sua descrição, um livro tedioso, e não ando com muito “saco” pra esse tipo de leitura ...gosto de ação, de “movimento”, empolgação sabe?! De problemas, já bastam os meus!! Hahahhaa
    Bom, concordo quando vc diz que não existe livro ruim...mas sinceramente, imaginava algo mais emocionante com esse livro...uma real lição, um auto conhecimento que pudesse mudar tudo...mas não foi o que me pareceu...
    Confesso que vou deixar pra lá essa leitura...pelo menos por enquanto!rsrs
    Beijoss

    ResponderExcluir
  3. VIAGENS DE UMA PSICOLOGA EM CRISE, LIVRO + OU MENOS DE AUTO AJUDA,POIS GRAZIELE FOI A INDIA P/ BUSCAR O SEU EU, Ñ GOSTEI MUITO.

    ResponderExcluir
  4. Ainda não conhecia este livro, fui ver ele em um sorteio no instagram.. E ainda não tinha lido nem a sinopse, bom saber que agora posso ler até uma resenha, rs.
    Nossa, a autora falou, falou e não deu nada? A personagem foi pra outro lugar para fazer uma análise sobre coisas que ela poderia ter feito sem sair do lugar?
    Acho que não tenho muita vontade de ler este livro, mesmo sabendo que é fininho. A sinopse dá vontade de ler, mas sabendo a fundo do que realmente é a história a gente perde a vontade..
    Espero o dia que você fizer a releitura, quem sabe muda de opinião né?

    ResponderExcluir
  5. Eu não conhecia esse livro, é a primeira resenha que leio.
    Achei a sinopse interessante e a capa bem linda!
    Mas não me agradou muito :( quem sabe uma outra hora, eu me interesse mais e acabe lendo.

    ResponderExcluir
  6. É sempre bom ganhar livros né... eu piro quando eu ganho algum... rsrsrs
    Esse livro é sobre psicologia e tudo mas, então eu descarto. Não porque vc não tenha gostado do livro e tal, mas é porque é um tema que não dou muito a dentro só isso, mas que bom que vc vai dar outra chance a ele futuramente.

    Abçs :)

    ResponderExcluir