♥ O Doador de Memórias ♥ - Ed: - Editora Arqueiro
Ganhadora de vários prêmios, Lois Lowry contrói um mundo aparentemente ideal onde não existe dor, desigualdade, guerra nem qualquer tipo de conflito. Por outro lado, também não existe amor, desejo ou alegria genuína. Os habitantes da pequena comunidade, satisfeitos com suas vidas ordenadas, pacatas e estáveis, conhecem apenas o agora - o passado e todas as lembranças do antigo mundo foram apagados de suas mentes. Uma única pessoa é encarregada de ser o guardião dessas memórias, com o objetivo de proteger o povo do sofrimento e, ao mesmo tempo, ter a sabedoria necessária para orientar os dirigentes da sociedade em momentos difíceis. Aos 12 anos, idade em que toda criança é designada à profissão que irá seguir, Jonas recebe a honra de se tornar o próximo guardião. Ele é avisado de que precisará passar por um treinamento difícil, que exigirá coragem, disciplina e muita força, mas não faz idéia de que seu mundo nunca mais será o mesmo. Orientado pelo velho Doador, Jonas descobre pouco a pouco o universo extraordinário que lhe fora roubado. Como uma névoa que vai se dissipando, a terrível realidade por trás daquela utopia começa a se revelar. Premiado com a Medalha John Newbery por sua significativa contribuição à literatura juvenil, este livro tem a rara virtude de contar uma história cheia de suspense, envolver os leitores no drama de seu personagem central e provocar profundas reflexões em pessoas de todas as idades. 
O Doador

Bem, não sei ao certo como começar a resenha deste livro. O recebi ontem (13/08) e já terminei a leitura. Para quem está sem saber, estou encostada por dois dias (hoje é o segundo) por conta de uma conjuntivite que possivelmente se estenderá pelo final de semana, mas enfim. O livro é bem curtinho tem 184 páginas de trama e a leitura do mesmo se torna bem fluida por conta disso.

Vocês devem estar estranhando esse tipo de leitura bem fora do meu habitual, sabem que livros com protagonista adolescentes me cansam e me irritam, mas fiquei muito curiosa em ler esse. Outro ponto que devem estar estranhando é o fato de eu ter lido um livro com uma pegada de ficção científica, que é outro tema que não curto muito, mas como disse... fiquei muito curiosa para conhecer a trama. No momento em que pus meus olhos sobre a sinopse do livro, eu soube que precisava ler o livro e não me arrependi nem um pouco. Para ressaltar o quanto gostei... eu não deveria estar lendo (conjuntivite), mas não resisti apenas a uma breve folheada e acabei virando a manhã inteira devotando o livro.

O Doador de Memórias, é uma reedição que acaba de ser lançada pela Editora Arqueiro aqui no Brasil, com capa comemorativa ao lançamento do filme que chegará nas telonas em meados setembro. O livro é o primeiro volume de um quarteto de livros que no país foi intitulado como O Quarteto Doador. Lá fora a série foi intitulada como The Giver e a série já está completamente publicada e em Portugal os três primeiros livros também já tem publicação. O Brasil sai perdendo um pouco, pois O Doador é o único volume publicado aqui até o momento e isso só me leva ao desespero total, pois... EU QUERO MAIS!!!

Tudo parece perfeito... na verdade tudo é perfeito na Comunidade em que Jonas, um garoto de onze anos prestes a entrar na vida adulta, vive com sua Unidade Familiar. Tem pais atenciosos e uma uma irmãzinha tagarela. Ninguém conhece a dor, a fome ou a miséria e essa falta de conhecimento faz com que todos vivam numa suposta felicidade em decorrência do conformismo. Em seu mundo também não há guerras, brigas, inveja ou maledicência... consequentemente não há amor, carinho ou afeição. As pessoas gostam uma das outras e vivem bem, mas nada disso se compara ao bom e velho amor. Amor que por acaso é uma palavra proibida. Aparentemente também não há morte, não há perdas, nenhum sofrimento. Os casais são estudados durantes anos para que seus parceiros sejam escolhidos de forma perfeita, as crianças, chamadas de Doze, são estudadas durante toda a infância para que suas profissões sejam escolhidas da melhor forma possível e essa escolha assusta Jonas. Tudo é monitorado e as leis são seguidas a risca para que não haja nenhuma falha no sistema de vida do lugar.

Prestes a passar pelo ritual dos Doze, Jonas teme o que estar por vir. Ao observar seus amigos ele pode notar nitidamente quais poderão ser as escolhas dos Anciões da Comunidade para cada um, mas para ele o que poderá a vir a ser em seu futuro é uma incógnita. Para piorar no dia da tão esperada cerimônia a Anciã da Comunidade esquece-se de chamá-lo para a tão esperada escolha da sua profissão. A tensão paira por todos os membros do local, até que a velha senhora o chama ao palco para a tão esperada revelação... Jonas, fora o escolhido para ser o próximo Recebedor de Memórias, a escolha não fora apenas uma simples profissão, mas uma honra cedida a ele, que após o termino de seu treinamento seria então o mais sábio da Comunidade e detentor de memórias jamais vistas ou vividas.

Para Jonas a escolha é assustadora, ele não sabe o que está por vir e pedir para ser dispensado estava fora de cogitação. Ele não tinha escolha, teria de dar cabo do intenso treinamento que estava por vir. Suas reunião com o Doador de Memórias começa a lhe apresentar um mundo diferente, sensações novas e prazerosas, outras nem tanto, mas nada o deixa tão impressionado quanto a descoberta do Amor. As coisas no passado pareciam terríveis, mas ao menos as pessoas poderiam fazer suas escolhas. A descoberta de que um lugar melhor não existia para aqueles que eram Dispensados faz com que ele e seu mestre tramem sua fuga da Comunidade, mas onde ir? O que há depois daquela ponte?

Você só poderá descobrir quando pegar esse livro para ler.

Eu simplesmente me emocionei com cada descoberta de Jonas e de certa forma fui brindada com uma nova visão de outras tantas coisas importantes que foi impossível não me encantar com a trama. Com a leitura deste livro vi que coisas tão bobas que normalmente ignoramos ou achamos dispensáveis, são extremamente importantes. Aquele prazer de nos sentar a beira de um jardim e apreciar as cores das flores, por exemplo, coisa tão boba que não fazemos pela falta de tempo. Ou aquele momento ao lado das pessoas que amamos, pessoas realmente importantes em nossas vidas, mas que deixamos passar também pela falta de tempo. A liberdade tem muitas formas de existir e talvez a maior delas seja a nossa capacidade de sentir.

O mundo do nosso protagonista é um mundo programado, cheio de regras e completamente monitorado e quando enfim ele descobre coisas do passado, quando enfim ele começa a partilhar das memórias de seu Doador, ele começa a ver o mundo completamente diferente que o leva a pensar se não seria melhor que todos tivessem conhecimento sobre aquelas coisas que ele teria de reter sozinho um dia.

Como disse a leitura é muito fácil e fluida, a trama muito bem bolada e emocionante... e o fim é só o começo. Que o restante da série não tarde a ser lançada, pois realmente estou bem curiosa para o que vai acontecer com a fuga de Jonas... Com certeza estarei na fila do cinema esperando para assistir a adaptação cinematográfica que espero eu, me emocione tanto quanto o livro. Acredito que não preciso falar falar que super recomendo a leitura não é? Ela é ideal para todos os públicos... e acredito que todos deveriam ter o prazer de descobrir a importância dos pequenos prazeres guardados dentro da memória.

book cover of 

The Giver

A capa da esquerda é da edição Portuguesa (a verdinha), que aliás é linda demais.

4 Comentários

  1. Foi um dos 3 mais vendidos na Bienal. Quero ler urgentemente pra conhecer esse mundo!

    ResponderExcluir
  2. Mas cada um dos quatro livros não tem um personagem principal diferente? Tô *cafusa com esse negócio todo de continuação e cronologia. :/

    ResponderExcluir
  3. Adorei a nova edição do livro com a capa do filme, ficou mais bonito do que a capa anterior.
    Gosto de livros com protagonistas adolescentes, e este me chamou atenção por isso e também por saber que é um livro de poucas páginas.
    Acho que seria bom se o mundo fosse como neste lugar onde ele mora né? Sem conhecer a dor e a fome.. Mas por outro lado, não seria bom sem amor.
    Ser escolhido para ser o futuro sábio da comunidade? Realmente estou ansiosa para ler este livro!

    ResponderExcluir