Boa tarde Corujinhas!!!

Hoje acordei muito inspirada e acabei criando uma forma de indicar livros que li há muito tempo e que são muito bons sem que eu precise revisar um por um e acabe desistindo (como já aconteceu). Então criei a tag Resenha-Retro que consistirá em resenhas de séries que já li completas, ou livros únicos que são maravilhosos, que indiquei quando ainda era uma menina e comecei este blog. Tentarei escrever esta tag uma vez por semana até que eu consiga terminar de revisar todas as resenhas que já rolaram aqui entre os anos de 2009 à 2010. Então vamos lá...

Hoje eu vou começar pela trilogia Vikings, criada pela excelente autora Kathyn Hocket que conseguiu mostrar muito da cultura viking nesses romances repletos de aventuras e mistérios. Quem me conhece sabe que sou uma apaixonada por mitologia nórdica, quem me conhece ainda melhor sabe que sou tão apaixonada por vikings que tenho tatuado em mim um dos principais símbolos de força e fertilidade para esse povo que me fascina tanto.

Os três livros a seguir foram publicados pela falecida editora Nova Cultural então, quem se interessar, provavelmente encontrará esses livros somente em sebos.

Os livros a seguir estão dispostos em sua ordem de leitura, então divirtam-se!

Tentação! - Ed. 242
Clássicos Históricos Especial -Nova Cultural
O poder de uma paixão
Mesmo sem nunca ter visto o pai, um vice-rei viking, Erica MacQuarie sempre se orgulhou dele e sonhava conhecê-lo. A oportunidade surge quando Torin, um guerreiro escandinavo e emissário de Ragnar, aporta na Escócia, enviado com a missão de localizar seu filho "Eric". Ao descobrir que o filho do vice-rei viking é na verdade uma filha, Torin prepara-se para levá-la até Ragnar. Porém um grupo de membros do clã, chefiados pelo tio de Erica e sedentos por vingança, o fazem prisioneiro. A última esperança de Torin é que a bela Erica possa ajudá-lo a escapar. Torin não pode imaginar os perigos que os aguardam... nem o desejo implacável que os conduzirá a uma grandiosa revelação! 

Tentação! é o primeiro livro desta trilogia que foi escrita de uma forma incrível por Kathryn Hockett. Além da série ter, para os três livros, um único motivo e seu próprio suspense sequencial nos demais livros, cada um deles tem uma trama independente atrelada a esta principal.

Neste primeiro volume temos Torin, um proscrito, um homem sem honra ou respeito para seu povo. O único que não o culpa pelos erros cometidos por seu pai é Ragnar, o líder viking de sua tribo. Como braço direito do líder, Torin tem como missão resgatar os três filhos do homem. Um louca história de amor inicia aquela empreitada, Ragnar, tivera três amores e desses três momentos de sua vida ele deixara filhos, filhos dos quais agora ele precisava para assumir o comando de seu povo. Muitos ansiavam o poder que ele tinha e o fato de sua esposa jamais ter lhe dado filhos legítimos o levou a enviar Torin nessa louca e surpreendente viagem.

Torin é um homem marcado, que tem seus próprios dramas, suas próprias dores, até que ele conhece a bela Erica, vivaz, independente, uma guerreira em todos os sentidos e é impossível a ele não se apaixonar por ela. Erica por sua vez é uma mocinha encantadora, tão forte e sem papas na língua, que em seu afã de provar a Torin que ela é a filha de Ragnar, só faz trapalhadas e você acaba morrendo de rir das bobeiras dela. É o tipo da mocinha, ame ou odeie, mas que tem muito a ensinar para quem estiver interessado em aprender.

Com apenas a indicação de três pedras preciosas retiradas de sua espada e deixada para os filhos, Torin se vê seguindo para a Escócia em busca “Eric”, o primogênito de Ragnar. Só que "Eric", na verdade é Erica, uma ruiva impetuosa, que se orgulha do sangue viking em suas veias, tão determinada em provar-lhe a verdade, quanto bela.

Torin não consegue acreditar que aquela mulher, com a pedra da espada de Ragnar, fosse realmente a filha do homem a quem ele honraria com a própria vida, porém ele não tinha tempo a perder, levaria ela consigo na viagem de volta e que a sorte fosse lançada e seu coração ficasse seguro, pois quanto mais tempo fica ao lado de Erica, mais seduzido fica pela força e coragem daquela mulher.

Porém aquela missão não seria fácil. Muitos problemas viriam atrapalhar a viagem de Erica e Torin e aquela busca estava apenas começando...
Provocação! - Ed. 247
Clássicos Históricos Especial - Nova Cultural
Inglaterra e Escandinávia, 858
A chama de uma paixão Gwyneth olhava para as águas do oceano tentando acalmar as batidas aceleradas de seu coração. Era o dia de seu casamento e por mais que odiasse a idéia, naquele mundo dominado por homens não tinha escolha a não ser obedecer aos ditames do pai. Ainda assim, ela continuava a sonhar com o amor de um viking loiro que a presenteara com um pingente em forma de cabeça de dragão... A embarcação viking singrava os mares a toda velocidade. Sèlig, o Destemido, preparava-se para atacar Wessex, onde um dia fora mantido prisioneiro. O destino, porém, tinha uma surpresa para Sèlig, pois uma das primeiras pessoas com quem se deparou foi a linda jovem que o ajudara a fugir de seu cativeiro. Como levar sua vingança adiante, quando tudo o que queria era tomá-la nos braços e fazê-la sua mulher para toda a eternidade? 
Neste segundo livro, o melhor dos três, na minha opinião, porém sem desmerecer nenhum dos outros dois. Simplesmente achei que teve mais ação, me encantei com a coisa da invasão, traição, pérfidos planos para derrubar o pai da Gwyneth e tal. O foco deste livro, é nos dramas do casal, ela sequestrada pelo viking que passou a infância inteira apaixonada, achando que ele só a quer como escrava mesmo depois de tudo que ela havia feito a ele para ajudá-lo, e no principio é realmente o que ele quer... enfim...

Sèlig é o filho da vez, que Torin e sua esposa Erica saem para buscar, sem saber ao certo onde ir buscá-lo. Novamente a única pista é a tal pedra dada aos filhos e eles zarpam atrás dessa nova aventura. Enquanto eles estão a procura do rapaz, ele está na Irlanda tentando colocar seus planos de vingança em ação. Muitos anos atrás, em sua primeira jornada em um drakkar ele foi feito escravo pelo pai de Gwyneth e mesmo que ela o tenha ajudado, ele ainda guarda dentro de si cada um dos sofrimentos a ele impostos enquanto esteve no carcere. Ele está decidido a dizimar toda a cidade, polpando apenas a vida da menina que o ajudara. Enquanto ele e seus homens planejam o ataque a cidade, um lorde irlandês o contrata para invadir a festa de seu casamento e matar seu sogro.

Ele está disposto a aceitar o serviço pelo ouro que eles podem saquear e vai, sem saber que o homem que ele devia matar era exatamente o mesmo homem que o havia feito escravo anos antes. Muitos menos que a bela mulher no altar era a doce e bela menina que o havia ajudado.

O livro começa com Gwyneth, uma bela irlandesa prestes a se casar com um homem a quem não ama. Ela vai se casar e não consegue tirar o belo escravo que ela ajudou a fugir de sua mente. Segurando a bela pedra que ele lhe dera antes de fugir ela entra na igreja apenas para ver seu castelo, seu clã e tudo o mais ser atacado por bárbaros Vikings e para piorar o líder do bando parece muito interessado em sua pessoa.

Em meio a perseguição mata adentro Gwyneth descobre que aquele ataque foi planejado por seu noivo, mas que por algum motivo o líder viking desistira de seguir o plano. Agora ela é prisioneira dos vikings e escrava do líder... o homem pelo qual sempre fora apaixonada, mas que já não era mais o rapaz doce por quem quase foi deserdada por salvar-lhe a vida...

Sèlig está louco por vingança, mas ao se deparar com Gwineth sua jovem salvadora não tem certeza se quer continuar com seus planos, pois a menina que lhe assombrava os sonhos agora era uma bela mulher. E uma mulher que ele queria para sempre ao seu lado...

Juntos eles descobririam o verdadeiro amor e viveriam a maior aventura de todas. Os segredos sobre a paternidade de Sèlig estão para ser descobertos e uma trama diabólica esta sendo traçada para exterminar  Ragnar e todos os seus herdeiros... 
Sedução! Ed: 250
Clássicos Históricos Especial -Nova Cultural
Países Nórdicos, 858 D.C.
Alucinada paixão!
Quando Natasha foi capturada, Sean não vacilou em enfrentar a fúria do oceano para resgatá-la. Movido pela força e energia que herdara dos ancestrais nórdicos, ele se aventurou pelos sete mares até chegar a uma terra exótica, à procura de suas raízes, de sua família e da mulher a quem amava com loucura... O instinto de Natasha lhe dizia que aquele homem forte e bonito a protegeria quando ela fugisse de seus raptores. O pouco tempo que passara ao lado de Sean despertara uma paixão avassaladora e coragem para enfrentar a ganância e a deslealdade que os arrancara dos braços um do outro. Natasha não imaginava as surpresas que a aguardavam, nem a aventura em que embarcaria, com um intrépido guerreiro viking em cujas mãos ela entregaria seu destino!
Com este livro a autora fechou com chave de ouro a serie. Uma coisa que eu adorei da série é o fato das personagens principais serem fortes e decididas. Cada uma com características tão marcantes que me encantou, nesse terceiro livro, o mocinho é mais doce, ele quer ser padre e está decidido a fazer seus fotos a todo o custo.

A mãe de Sean era freira quando teve um tórrido romance com um vice rei viking e ele, por sua vez, fora criado entre os monges em um monastério. O chefe do monastério não quer que Sean faça os votos, ele sabe que o rapaz nasceu para ser um guerreiro, e por isso o encaminha para uma missão diplomática. Antes de Sean fazer seus fotos, ele tem de conhecer o mundo fora do monastérios e se essa era a ordem ele iria cumpri-la.

Sean tem de seguir até o acampamento viking e negociar com o líder, essa era a sua missão. Tudo parecia perfeito, a negociação teria sido um tanto quanto proveitosa, até que Natasha, uma escrava do líder viking decidi fugir em seu barco. Ele pode imaginar o sofrimento da jovem e a ajuda a escapar, sem saber que ela é filha de um vice rei viking (não, ela não é filha de Ragnar, por incrível que pareça... rsrs... ela é filha de um outro vice rei, de uma tribo viking que viaja por terra, ou seja, bárbaros que invadiam e saqueavam por terra. Sim, isso existiu.)

Natasha está decidida a fugir quando se vê frente a frente a um belo homem. Um moreno alto, forte que em nada combinava com as roupas clericais que vestia. Aquele homem era mais bonito que o pecado e as roupas destoavam do conjunto.

Decidido a não deixar desamparada a bela prisioneira de seus inimigos e assim que parte a leva junto de si para o monastério. Apenas para ter certeza de que não tinha vocação para ser padre ao se render aos encantos da jovem viking ao seu lado. Enquanto fogem, Sean descobre que seu pai o estava procurando... Assim como o cerco está se fechando no povoado de Ragnar.

Alguém quer a morte de Ragnar e apenas seus três filhos poderão deter o inimigo...

Em suma, a série é ligada pela sórdida trama que está se descortinando no povoado de Ragnar. Como seus filhos tem vidas independentes cada um dos livros referentes aos seus rebentos tem seus próprios problemas também. A cultura viking está presente em cada página, assim como a mitologia e o sistema politico desse povo incrível.

Eu sou simplesmente apaixonada por essa série, então sou muito suspeita em falar. Só posso dizer... leiam!


Espero que tenham gostado da Resenha-Retro, semana que vem tem mais e espero por vocês!

5 Comentários

  1. Adorei a tag!! As vezes me pego folhando livros que faz tempo que já li...somente pela saudade e pela alegria que foi ler tal livro!
    Eu estou nesse momento relendo um livro que ganhei há muito tempo (2006) pois é um dos meus favoritos e como as minhas comprinhas novos não chegaram ainda, achei que seria a hora de fazer essa releitura!

    Achei bem interessante essa série e o fato de serem histórias distintas umas das outras, tendo cada uma sua própria história, claro, sem esquecer o tema principal!
    Confesso que nunca li nada parecido, acho...com histórias de viking e tal...
    a trama parece boa...acho que só lendo pra tirar maiores conclusões!
    ;)
    Beijos da corujinha Adri

    ResponderExcluir
  2. Ai, ai, deu até saudade da falecida NC =/
    Li essa série em 2006, logo que a Nova Cultural publicou, então não me lembro de muita coisa, mas, pelo visto, não gostei já que a série não foi pra estante dos "introcáveis".

    To sempre relendo meus livros... curti a nova tag ;)

    ResponderExcluir
  3. Eu gostava muito de ler estes romances históricos da Nova Cultural. Legal esta sua coluna, este se a minha memória não estiver me enganando, eu não li nenhum dos livros.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  4. Caraca tu teve um trabalhão para fazer esse post O.o Muito inspirada mesmo hehehe

    Não sabia que a Nova Cultural é falecida T_T Que será que deu??

    A primeira deve ser uma história engraçada mesmo haha procurando por "Eric" hahaha. Humm...tipo de mocinha, ame ou odeie, mas espero que não seja daquelas bobas e.e isso estraga o livro. Todavia, acredito que não, já que tem sangue viking nas veias *_*. Curti muito a história.

    O nome da principal da segunda história daria um nome bem
    legal para um char de jogo rpg online o/ Adoro esses nomes
    diferentes *_* O Torin e a Erica saem para procurar o Sèlig?
    Que showwww *_* Suspirando lendo a resenha haha quanta emoção,
    saudades de ler livros de romance assim *_*

    A história que mais me chamou a atenção foi a primeira *_*

    E as capas no final do post *_* Simplesmente formidáveis, pena
    que esses homens só existem no papel hehe.

    Gostei muito dessa ideia do post o/

    Beijos
    Babih Hilla.

    ResponderExcluir
  5. Ah!! Fico feliz que tenham gostado... *__*
    Semana que vem vai ser maior ainda, pois a série que vou relembrar tem 5 livros :/
    Já to trabalhando nela... kkkkkkkkkkkk...
    E Babih, ela é falecida, pois não publica mais livros como antes, só sob encomenda... o que na minha opinião é muita burrice já que ficou muito mais caro... kkkkkkkkk

    ResponderExcluir