♥ A Escolha Dos Três ♥ - Reedição da Ponto de Leitura
Com incansável imaginação, Stephen King dá continuidade à magistral saga épica A Torre Negra. "A Escolha dos Três", segundo volume da série, lança o protagonista Roland de Gilead em pleno século XX, à medida que ele se aproxima cada vez mais de sua preciosa Torre Negra, sede de todo o tempo e de todo o espaço. Um derradeiro confronto com o homem de preto revela a Roland, nas cartas de um baralho de tarô, aqueles que deverão ajudá-lo em sua busca pela Torre Negra: o Prisioneiro, a Dama das Sombras e a Morte. Para encontrá-los, o último pistoleiro precisará atravessar três intrigantes portas que se erguem na deserta e interminável praia do mar Ocidental. São portas que o levam a um mundo diferente do seu, em outro tempo, de onde ele deverá trazer seus escolhidos: Eddie Dean, um viciado em heroína; Odetta Holmes, uma bela jovem negra que perdeu as pernas em um medonho acidente e sofre de misteriosos lapsos de memória; e o terceiro escolhido, a Morte, que vai embaralhar mais uma vez o destino de todos. A primeira porta o leva à Nova York dos anos 1980 e a Eddie Dean. A segunda transporta o pistoleiro à mesma cidade, mas dessa vez na década de 1960. A Dama das Sombras que Roland encontra atrás dessa segunda porta é Odetta Holmes. Roland e Eddie não demoram a descobrir que a mente de Odetta abriga também a malévola Detta Walker, num evidente distúrbio de dupla personalidade. Com o terceiro escolhido, A Morte, as cartas tornam a se embaralhar e a busca de Roland pela Torre Negra sofre uma nova e imprevisível reviravolta.

Se o primeiro volume (O Pistoleiro) dessa saga foi totalmente confuso e ao mesmo tempo hipnotizante, o segundo livro fez jus a continuação, menos confuso, porém, tanto ou mais mágico que antes. Stephen King conseguiu me deixar ávida pela leitura, pois ele não dá a entender o que Roland irá encontrar no caminho e você não consegue em hipótese alguma deduzir a trama ou o que vai acontecer e isso te leva a querer ler mais e mais. Roland também não faz ideia do que irá encontrar no caminho ou como é, ou como possa ser a Torre, mas persiste em seu ideal e nós, ávidos leitores, acabamos acompanhando essa sua jornada nesse mundo sombrio.

Eu gostaria de não fazer spoiler, porém acredito que a cada livro lido dessa saga continua eu não consiga evitar que eles saiam, então sintam-se avisados. Para conhecer a lista dos livros da série ou para conhecer o primeiro livro, leia aqui.

Roland é um pistoleiro, o último pistoleiro de um mundo pós apocalíptico bem confuso e estranho. No primeiro livro ele busca alcançar o Homem de Preto que lhe revelará o caminho para a Torre, uma obsessão  que tem desde que seu mundo foi tomado pelo caos e devastado pela morte de tudo que lhe era importante.  Ele busca entender o que aconteceu e entre memórias de seu passado ele cruza um inóspito deserto ao lado de Jake um menino que encontrou em uma de suas paradas. 

Após encontrar o Homem de Preto no final do último volume, Roland se vê com três alternativas para seguir com seu ideal. Ele precisa encontrar e escolher três pessoas que o ajudarão a chegar na Torre.  Ao despertar da estranha conversa com o misterioso Homem de Preto (já no segundo volume da série), ele se vê anos mais velho em uma imensa praia, onde é atacado por um estranho monstro e perde alguns dedos da mão e um do pé. Febril ele tem de seguir seu caminho na busca do Prisioneiro, A Dama das Sombras e A Morte.

Enquanto caminha, fraco e com um princípio de um infecção muito perigosa ele chega então na primeira porta: "O Prisioneiro". Ele não faz ideia do que irá encontrar ao abrir a porta e quando entra se depara com a mente de Eddie Dean, um viciado em Heroína, que precisa passar pela alfandega do Aeroporto com um quilo de cocaína sob os braços. Eddie é a única chance de Roland encontrar algum remédio e algo para comer, por isso Roland o ajuda a passar pela alfandega e juntos irão se ajudar mutuamente. O mundo de Eddie é o nosso mundo, porém ele vive as margens do irmão mais velho viciado em drogas mais pesadas e para ajudá-lo com o traficante que o pagará pela cocaína ele só terá a ajuda de Roland e no fim só lhe restará ir para o mundo do pistoleiro.

De volta na praia, praticamente sem comida e tendo crises de abstinência da heroína, Eddie ajuda Roland lhe ministrando os remédios que trouxera com sigo. Roland está cada dia melhor e a jornada em busca da segunda porta continua.

Na segunda porta, A Dama das Sombras, eles encontram Odetta Holmes, uma negra que luta pelos direitos dos negros, também em Nova Iorque, porém vinte e cinco anos antes do ano em que Roland encontrou Eddie.  Porém Odetta é esquizofrênica, e Detta, sua outra metade, é uma mulher vulgar, chula e que dará a Eddie e Roland muito trabalho. Detta e Odetta não tem as pernas e anda numa cadeira de rodas, Odetta é uma mulher rica, educada e de fácil trato e quando ela está no controle faz do percurso até a terceira porta bem agradável.

Eddie e Odetta acabam se apaixonando, mesmo com a diferença de idade e Roland está cada dia pior de saúde. As balas estão acabando, assim como a energia e a saúde de todos eles. Eles precisam encontrar a terceira e última porta e quando enfim eles chegarem lá, muita coisa vai acontecer. A Morte é um assassino em série no mundo de Odetta e Eddie e muitas vidas conhecidas de Roland foram ceifadas por ele. Porém teremos uma boa surpresa nessa terceira porta, então não vou falar muito sobre ela... rsrs

Eu simplesmente fui surpreendida diversas vezes pelo livro, confesso que achei a Detta um pé no saco, pois ela acha que todo branco só quer humilhá-la, estuprá-la, torturá-la e etc. Porém a trama foi desenvolvida de uma forma que me prendeu e me deixou ávida para saber o que iria acontecer. A cada surpresa do Roland você acaba surpreendido também e isso é delicioso na leitura. Roland é um personagem um pouco egoísta, porém não consigo desgostar dele, com todos os contras dele, ele é muito carismático.                                                                                                

Eu super recomendo a série. Sei que nem todos se agradaram dela, porém o levar dos acontecimentos é bem interessante e cativante. Não sei quando lerei o terceiro livro, porém espero que seja em breve, pois estou simplesmente apaixonada pelo estilo do King.

book cover of 

The Drawing of the Three

Um Comentário

  1. A reelaboração da Dama das Sombras foi incrível. Uma criatividade ímpar de King. O livro é excelente. Mas ainda prefiro Terras Devastadas.

    ResponderExcluir