♥ Amante Sombrio ♥ Ed: 1ª - Universo das Letras
Nas sombras da noite, em Caldwell, Nova York, desenrola-se uma sórdida e cruel guerra, entre vampiros e seus carrascos. Há uma irmandade secreta, sem igual, formada por seis vampiros defensores de sua raça. Ainda assim, nenhum deles deseja a aniquilação de seus inimigos mais que Wrath, o líder da Irmandade da Adaga Negra. Wrath é o vampiro de raça mais pura dentre os que povoam a terra e possui uma dívida pendente com os assassinos de seus pais. Ao perder um de seus mais fiéis guerreiros, que deixou orfã uma jovem mestiça, ignorante de sua herança e destino, não lhe resta outra saída senão levar a bela garota para o mundo dos não mortos. Traída pela debilidade de seu corpo, Beth Randall se vê impotente em tentar resistir aos avanços desse desconhecido, incrivelmente atraente, que a visita todas as noites envolto em sombras. As histórias dele sobre a Irmandade a aterrorizam e fascinam. Seu simples toque faísca, um fogo que pode acabar consumindo a ambos.
Amante Sombrio

E então queridos? Preparados? Antes que levem a diante essa resenha já vou dizendo que contém spoilers, muitos spoilers, principalmente após o vídeo em anexo... então se você não gosta de spoilers pode parar por aqui ou continuar lendo até o vídeo, mas depois dele não me responsabilizo por sua leitura....

A Irmandade me foi apresentada por algumas amigas da época do Orkut, são muitas, então não citarei todas elas, mas espero que elas apareçam por aqui para ler o que eu escrevi. Na época elas me enviaram os e-books, infelizmente não consegui ler e hoje não tenho mais eles (não me venham pedir).

Sou fã incondicional de Type O Negative, cujo o falecido vocalista é a inspiração para a autora criar nosso protagonista majestoso, Wrath. Sim, elas jogaram baixo comigo... me tentaram com imagens 'sedutivas' do Peter Steele e suas deliciosas presas (sim, ele realmente tinha presas na vida real), seus olhos cor de veneno... ai ai ai... não resisti e comprei o livro, porque, como disse, não consegui terminar de ler em e-book.

Gente... tem como não se apaixonar por esse cara? 
Eu sou louca por ele e ele nem está vivo #NecrofiliaMODEOn... rsrs... estou brincando...
A não ser, é claro, que o Peter seja um vampiro de verdade, aí então eu não estou brincando... #EUPEGOMESMOEMARCOFALANDOQUEÉMEU
(meio confuso não? Esqueçam o que eu disse #PIRADINHAMODEOn)

Viagens a parte... Fui deixando a leitura de lado, não queria me ver irremediavelmente apaixonada mais uma vez por uma série gigantesca que eu talvez nem fosse ler toda. Com o tempo fui perdendo a minha curiosidade em ler o livro, tanto porque vários sites e blogs diziam e mostravam imagens nada a ver com o que eu havia visto no livro e me senti um pouco decepcionada.

Mas enfim, decidi ler, os livros entraram na promoção e as meninas continuavam me tentando com a leitura da tão afamada Irmandade da Adaga Negra e lá fui eu encarar o Amante Sombrio que é o primeiro livro de uma série de onze volumes... isso mesmo ONZE VOLUMES! Os livros da série foram todos publicados pela Universo dos Livros, que aliás vem trazendo ótimas autoras desse meio vampiresco. E os Irmãos são:
  1. Amante Sombrio;
  2. Amante Eterno;
  3. Amante Desperto;
  4. Amante Revelado;
  5. Amante Liberto;
  6. Amante Consagrado;
  7. Amante Vingado;
  8. Amante Meu;
  9. Amante Libertada;
  10. Amante Renascido;
  11. Amante Finalmente;
Pelo que deu para notar até agora, estou irremediavelmente apaixonada por todos esses belos vampiros. J. R. Ward foi para mim uma deliciosa surpresa, não apenas pelo intenso teor erótico de seu livro, mas pela maneira fácil com que colocou tudo que vinha a sua mente no papel. A leitura fluiu muito bem e foi rápida. Eu teria terminado o livro muito antes, mas com o trabalho, problemas e etc... a gente vai lendo quando dá ou quanto o cansaço nos permite. Enfim, J. R. Ward no apresenta um mundo paralelo ao nosso, onde tudo é diferente do que já nos foi apresentado nesse meio literário vampiresco. 

Os vampiros tem uma sociedade a parte, leis honrosas e não necessitam de sangue humano para se manterem vivos, então não tem aquela velha fama de sanguinários e assassinos de humanos. Apesar de todos os Irmãos serem mortalmente belos e ferozes, todos tem um coração enorme e bondoso escondido naquela carranca de poucos amigos, atitudes muito parecidas com a de muitos homens humanos, diga-se de passagem. 

Eles só bebem sangue de outro vampiro e do sexo oposto e não necessitam de sangue diariamente, isso depende de cada um e a alimentação pode variar de um a cada seis meses. Eles comem normalmente, comida normal como nós, se bem que não como nós, porque seis Irmãos conseguem comer comida suficiente para um QG inteiro durante um ano. 

Não podem sair ao sol, tirando a Virgem Escriba que brilha, o resto é bem hétero e até o mais gay deles, sim temos um vampiro gay, não nesse livro, mas na Irmandade, consegue ser mais hétero que o Edward daquela piada que é Crepúsculo (mimimi em 3...2...1...). A Virgem Escriba é como uma deusa para eles, ela lhes deu a vida e todos a respeitam e adoram. Acima de Wrath está o poder dela. 

Outra coisa legal é que não se fazem vampiros como nos outros livros, ou você nasce um vampiro ou nunca será um vampiro. Eles conseguem se procriar com humanas, porém seus filhos tem de passar pela transição aos vinte e cinco anos, muitos não sobrevivem. Então se um Irmão te mordem... infelizmente você não vai virar uma vampira(o). ~aloca

Para haver um equilíbrio cósmico na coisa, existem os redutores, que são humanos sem alma que caçam os vampiros simplesmente pelo prazer em matar a raça. Eles são criados pelo Ômega, que me parece ser algum tipo de vampiro, anti vampiros, não sei ao certo, mas a descrição da Beth sobre eles dá para entender legal... ela o descreve como o Diabo.

Acho que autora pecou no estilo de música curtida por eles. Rap Hardcore? WFT? Todos aqueles homens lindos, cobertos de couro, repletos de correntes, armas, adagas, piercings, tatuagens, cabelos longos.... Raper's??? ACHO QUE NÃO.... Se existe um enorme bando de headbanger, metaleiros da pesada, fãs do mais puro Heavy Metal, são esses caras da Irmandade... essa coisa aí, não colou para mim, mas relevei... já tenho minha opinião formada sobre o estilo deles, mesmo que a autora diga o contrário... u.u

Quem gosta dos mocinhos da Diana Palmer vai amar esses aqui, porque ogros cabeça-duras como esses... só os cowboys de tia Didi.

Enquanto lia o livro, em vários momentos me peguei cantarolando a música que está a seguir no vídeo. Love You To Death, ou Te Amar até a Morte, da minha banda favorita e que serviu de muita inspiração para essa autora descoberta. A música é um tanto possessiva, onde se dá e se recebe, algo intenso, uma necessidade ímpar e simplesmente a achei a cara dos protagonista deste livro.

Agora feche os olhos e me deixe te amar até a morte 
Deixe-me te amar também... Deixe-me te amar até a morte 
Ei, eu sou bom o suficiente para você? ♫♪
(Fragmento de Love You To Death - Type O Negative)


A PARTIR DAQUI CONTÉM SPOILERS.

Wrath é um solitário, gosta de ser assim. Apesar de ser o único vampiro com sangue puro na raça, não quer ser um rei. Falhara em salvar seus pais séculos atrás e não se sente seguro em relação a nada sob seu poder, muito menos liderar seu povo. Antes de sua transição lhe foi destinada uma companheira, porém nunca a tomara como tal, alimentavam-se mutuamente e era só. Ele não queria ter uma leelan (mulher amada). Então, quando Darius, um de seus melhores guerreiros lhe pede para fazer a transição da última de suas filhas humanas ele está decidido a não fazê-lo. 

Porém, a repentina morte de Darius não lhe deixa outra escolha. Iria buscar a filha do homem a quem tanto respeitava e a ajudaria na transição. Darius não lhe pedira para tomar a moça como companheira, apenas queria que seu sangue puro e mais forte fosse capaz de mantê-la viva e isso ele poderia fazer, assim como manter sua segurança.

A vida de Beth é pra lá de monótona, mas parece que as coisas vão esquentar após sofrer uma tentativa de estupro. Um homicídio na frente da boate mais mal afamada da cidade pode lhe render muito em seu trabalho como jornalista, mas sair de casa após escapar dos estupradores não era uma ideia. Pior ainda era ver do outro lado de suas portas de vidro um homem gigantesco, cabelos longos, com o corpo grande coberto de couro se aproximar de seu pequeno apartamento. Em pânico ela vê sua porta fechada ser aberta e ouve o som daquelas botas com bico de aço rangerem em seu chão. Ela precisa escapar, ela precisa gritar, mas... aquilo não passara de um sonho.

Sim, Wrath sabe como chegar nas pessoas. Parece um tanque de guerra invadindo uma cidade.... tudo o que queria era conversar com Beth e explicar o que estava fazendo ali e contar que estaria ali para protegê-la, mas ela entrara em pânico. Só podia apagar-lhe a mente e deixar que ela acreditasse que sua aparição fosse um mero pesadelo. Ele tentaria novamente.

Bem... tudo fora um pesadelo! Ao menos era o que Beth pensava... sua noite parecia um livro de Stephen King e as coisas só tenderiam a piorar. Brian O'Neil, mais conhecido como Bonzão ou Butch estava no seu pé e ela não conseguia entender o porque. Ultimamente sentia-se muito doente e não estava afim de ter de aturar o amigo policial fazendo perguntas sobre o homem que tentara estuprá-la.

Em sua segunda tentativa de contatar Beth, Wrath tem uma deliciosa surpresa e ambos terminam na cama sem que ele pudesse lhe dizer realmente a que viera, mas ele não resistira ao doce convite de Beth para lhe visitar a cama e isso poderia custar para sempre o seu coração.

Beth conhece Butch há muito tempo, porém não se sente atraída por ele, nem por homem algum, por isso se sente estranha ao ter cedido a luxúria nos braços de um completo estranho. Wrath está com muito ciumes de seu envolvimento com Butch e confiar nele novamente será impossível, mesmo que seu corpo clame por aquele belo gigante moreno.

Tudo o que Wrath não quer é que Beth o afaste, não quando sua transição se encontra tão próxima. E em um momento de desespero, após quase matar Butch em sua frente, ele apela dizendo que fora enviado pelo pai dela para protegê-la.

Seria o pai de Beth algum figurão mafioso?

Será que ela poderia confiar em Wrath... se esse realmente fosse seu nome?

Porém a verdade era pior do que ela poderia imaginar, ele era um vampiro e todos a sua voltam também eram.  Seu pai fora um bravo guerreiro da Irmandade da Adaga Negra e eles fariam de tudo para pegar seu assassino, até mesmo eliminar Butch caso ele lhes arrumasse encrenca.

Beth e Wrath se sentem cada vez mais atraídos um pelo outro e o amor entre eles será mais forte que qualquer outra força. A luta contra os redutores está cada vez mais ferrenha e para ter Beth ao seu lado ele terá de aprender a lidar com os próprios medos, os próprios anseios e os próprios sentimentos. 

Eles estão cada dia mais ligados e o dia da transição se aproxima. A vida de Beth encontra-se por um fio e apenas Butch pode ajudá-la. A verdade terá de ser revelada ao policial e ele terá de ser mantido por perto, mesmo contra a vontade de Wrath. Ele não pode mais viver longe de sua Leelan e não pode mais negar que a ama e que não pode mais viver sem ela.

Estranhamente, após a transição Beth consegue caminhar a luz do dia e por um acaso ela é sequestrada pelo chefe dos redutores da cidade. Wrath não pode fazer nada para ajudá-la a luz do dia e enquanto sua irá cresce até o anoitecer ele será capaz de dar a vida para salvá-la dos assassinos.

Tudo parece perdido para eles com esta batalha e apenas o amor deles poderá lhes guiar. Wrath precisa ser um rei de verdade, precisa reunir o seu povo e para isso ele precisa da sua força, do seu bem maior... Beth!

O livro gira em torno da história dos dois e apresenta histórias paralelas que vão compor a trama do livro. Não fica nada confuso e muitas das vezes você se vê caindo de rir das besteiras dos Irmãos. Wrath mesmo sendo um grosseirão diversas vezes te faz suspirar diante da intensidade de seus sentimentos pela Beth, o cuidado que tem com ela, o carinho... chega ser estranho diante da imagem de assassino que ele tem e você se vê perdidamente apaixonada por todos eles, pois cada um tem seus medos, suas sinas.

Depois de ter desnudado os sentimentos do gélido Rei Cego, quero conhecer os dos demais irmãos, pois se eles forem tão intensos quanto ele, vou criar um harém aqui em casa... rsrs

Se eu recomendo? Sim, recomendo.  A história é cheia de aventura, sexo, romance, suspense...

Então se você não tem medo do escuro e não tem medo de se aventurar no submundo... este livro é um prato cheio do melhor banquete do mundo.

Aprecie sem nenhuma moderação!

book cover of 

Dark Lover

Vou ter de comentar essa capa em inglês, que, na minha opinião, é muito mais bonita que a nacional, pois o modelo tem os longos cabelos doWrath, mesmo faltando os óculos ainda assim se aproximou bem da característica do Rei Cego ♥ Infelizmente dificilmente as capas tem algo a ver com o enredo. #Oremos

12 Comentários

  1. Raissa mandou muito bem o livro é bem isso. Não poderia ter dito melhor eu tb resistir no início e acabei apaixonada por essa saga e os Adagõesnadoro chamar eles assim.
    Aguardando as próximas.
    Bjus

    ResponderExcluir
  2. Ai caramba, o que comentar?
    Que eu passei mal de rir com a comparação do mais gay com o Cullen de Crepusculo ou que eu não resistir ao aviso de spoilers e li até o final???
    Apenas uma coisa a dizer: Se meu livro não chegar nesta segunda feira, cabeças rolarão. ( e a sua Raíssa, é uma delas)
    bj

    ResponderExcluir
  3. Dê o Amante Eterno já ta na lista para as leituras do mês que vem com certeza... Estou louca para ver no que vai dar o romance do Butch com a Marissa, então tenho de adiantar bem a leitura até chegar neles... rsrs... não dá para não se apaixonar... a imagem do peter não sai da minha cabeça e o fato da Beth ser morena foi bem fácil de entrar no clima e me sentir ela... kkkkkkkkkkkkkk... #ADORO...

    Te aguardo aqui nas próximas ♥

    Boa semana

    ResponderExcluir
  4. Ivi... já posso sentir o gosto do metal em minha garganta... kkkkkk... Ui meda!
    Mas não pude evitar comparações... Tem uma parte que a Virgem Escriba deixa que veem sua mão e ela brilha, kkkkkk... não tive como não comparar...
    Agora eu avisei né? Não me culpe... kkkkkkk

    Boa semana querida.
    #ComeceMatandoOEntregador

    ResponderExcluir
  5. Como muitas, eu adoro essa série! Esse ano, finalmente, terminei (estavam faltando do sétimo até o final) e amei todos. Adorei a comparação com o Edward, tadinho do menino, rsrsrs, ele é um vampiro puro, kkkkkk.

    ResponderExcluir
  6. kkkkkkkkk... Essa comparação vai dar o que falar... Já estou com os outros para ler, mas para não ficar mt enfadonho por aqui vou intercalando... estou louca para conhecer os outros irmãos, principalmente o Zsadist, aquela pinta lá não me convenceu... kkkk

    Boa semana

    ResponderExcluir
  7. Amiga!!! Eu te falei que tu ia ADORAR!!!!!!!!
    É uma série maravilhosa!!!!!
    Adorei a resenha. Perfeita!!!
    Quero ver o que tu vai achar do Rehvenge :3
    bj

    ResponderExcluir
  8. Também me encantei por estes vampiros, mesmo achando algumas coisas parecidas com outra série que eu amo, Sr. do Submundo, conhece? Estou no volume 5 dos IAN.
    Bjs< Rose.

    ResponderExcluir
  9. Conheço os Senhores do SubMundo sim, Rose, porém não os li, mas assim que a Sr. Harlequin resolver vender eles mais baratinhos quem sabe eu não os encare. Já estou a muito tempo interessada em lê-los, mas ela não baixa o preço aí eu fico esperando ele cair na Estante Virtual... kkkk... Vou terminar minha coleção da Lara Adrian agora e partir para eles... quem sabe não seja amor tbm, se forem parecidos com os Irmãos, então, vou cair de amores...

    Beijos ♥

    ResponderExcluir
  10. Bem nao li o livro, mas confesso que o primeiro instante o que me chama atençao é a capa *0*, adorei o enredo dude, mas ha um pouco de desanimo da minha parte porque são muito livros e eles são meio $algado$. Mas enfim espero conhecer pelo menos UM irmão ano que vem u.u


    xx

    ResponderExcluir
  11. Olha Jessica, eu estranhamente consegui comprá-los em promoção no Extra por 19,90... fica de olho por lá e no submarino... Realmente 11 volumes é desanimador :/ mas vamos que vamos...
    Bom final de semana!!

    ResponderExcluir
  12. Com toda essa coisa de vampiros estar na moda não quis começar a ler mais fui na recomendação e agora quero todos,todos são meus e ai de quem discutir. O rei é o maximo, a irmandade é o maximo e sua resenha tambem.Me deixou com vontande de reler(desde que comecei a comentar decidi reler varios livros)e com saudades de todos.

    ResponderExcluir